sicnot

Perfil

Desporto

Saltadora com vara austríaca fica paraplégica após má queda em treino

A jovem saltadora com vara austríaca Kira Gruenberg ficou paraplégica após lesão grave sofrida quinta-feira durante o treino, revelou esta sexta-feira o seu agente.

Em 2014, Kira Gruenberg fixou o recorde da Áustria em 4,45 metros, durante os Europeus de Zurique, Suíça. (Arquivo)

Em 2014, Kira Gruenberg fixou o recorde da Áustria em 4,45 metros, durante os Europeus de Zurique, Suíça. (Arquivo)

DR

A atleta de 21 anos caiu sobre a cabeça e pescoço na caixa de salto durante um treino em Innsbruck, ao qual assistiam os seus pais, sendo que o progenitor é o seu treinador, que a estava a preparar para tentar disputar os Mundiais de agosto, em Pequim.

Cirurgiões da clínica universitária de Innsbruck operaram a atleta durante várias horas e anunciaram que várias vertebras cervicais de Gruenberg foram fraturadas.

"Depois de termos diagnosticado paraplegia antes da operação, a paciente foi sujeita a intervenção cirúrgica de emergência de modo a estabilizar a coluna vertebral e evitar maiores danos", disse a clínica, em comunicado.

Gruenberg vai permanecer em terapia intensiva e os médicos vão realizar vários testes nas próximas semanas para avaliar a sua evolução.

"O caminho que espera a Kira vai ser longo e difícil", admitiu o seu agente.

Em 2014, Kira Gruenberg fixou o recorde da Áustria em 4,45 metros, durante os Europeus de Zurique, Suíça.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Cenário mais estável no Sardoal
    0:55

    País

    O presidente da Câmara do Sardoal, Miguel Borges, disse esta manhã que a situação está mais calma. No entanto, o autarca pede que não se desmobilizem os meios porque a situação pode mudar de forma imprevisivel. Miguel Borges alertou ainda para o cansaço dos bombeiros e agentes da Proteção Civil.

  • Detida no Brasil portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos
    3:04

    Mundo

    A Polícia do Rio de Janeiro deteve uma portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos. Ana Resende fazia-se passar por funcionária do consulado e prometia vistos e outros documentos para tirar dinheiro das vítimas. Esta é a terceira vez que a polícia brasileira detém a portuguesa por acusações de burla.