sicnot

Perfil

Desporto

Lochte faz história com quarto título mundial de 200 metros estilos

O norte-americano Ryan Lochte reforçou hoje a sua presença na história da natação, ao ganhar os 200 metros estilos nos Mundiais de Kazan, o seu quarto triunfo consecutivo na prova.

© Stefan Wermuth / Reuters

Em Kazan, destaque ainda para Katie Ledecky, igualmente dos Estados Unidos, que atingiu as quatro medalhas de ouro nestes campeonatos, e para a China, com medalhas em todas as cinco finais disputadas.

Aos 31 anos, Lochte já não tem o fulgor de outros tempos, mas ainda dá para vencer em 1.55,91 minutos, depois de ter sido o mais rápido nas séries e nas meias-finais.

Com este ouro, o também recordista mundial fica com o pleno desde os Mundiais de 2009 e 'desempata' de Michael Phelps, que fora campeão nas três edições anteriores. Lochte chega agora a fabuloso total de 16 medalhas de ouro, quatro de prata e quatro de bronze, em Mundiais.

O brasileiro Thiago Pereira, bronze há um ano, melhorou agora para prata e em terceiro lugar ficou o chinês Wang Shun.

Ainda em fase ascendente da carreira está Ledecky, jovem norte-americana de 16 anos, que já é a grande figura dos campeonatos no setor feminino.

Hoje liderou a estafeta de 4x200 metros livres para uma vitória em 7.45,37 minutos, que no entanto chegou a estar 'tremida'. Com efeito, no primeiro percurso Missy Franklin passou claramente atrás da mais forte das suecas, Sarah Sjostrom, que fez os seus 200 metros em ritmo para recorde do Mundo.

A Suécia ainda entrou para a mudança final à frente, mas depois claudicou muito e acabou por ser quarta, inclusivamente batida pela Itália, de Federica Pellegrini, e pela China, atual recordista mundial.

Dupla vitória chinesa na jornada, nos 100 metros livres masculinos, com Ning Zetao, e nos 50 metros costas femininos, com Fu Yuanhui.

Zetao venceu em 47,84 segundos, à frente do australiano Cameron McEvoy e do argentino Federico Grabich, e Yuanhui triunfou em 27,11, com as restantes medalhas a irem para a brasileira Etiene Medeiros e outra chinesa, Liu Xiang.

Em dia especialmente bom para a natação chinesa, fica ainda o registo do bronze nos 200 metros mariposa, com Zhang Yufei atrás da japonesa Natsumi Hoshi (2.05,56 minutos) e da norte-americana Camille Adams.

Os portugueses Victoria Kaminskaya e Diogo Carvalho participaram nas séries de 200 metros bruços e terminaram no 35.º e 36.º lugares, respetivamente.

Na prova feminina, na qual o apuramento para as meias-finais 'fechou' nos 2.25,91 minutos, Victoria Kaminskaya percorreu a distância em 2.33,73, marca superior ao seu recorde pessoal, de 2.30,43. Diogo Carvalho conclui em 2.15,58, novo recorde pessoal.

A China reforçou a posição cimeira no quadro de medalhas, já com 14 medalhas de ouro, 10 de prata e oito de bronze. A alguma distância, com nove medalhas de ouro, estão os Estados Unidos (9/6/5) e a Rússia (9/4/2).

Lusa

  • Sismo registado esta manhã na região de Lisboa

    País

    Um sismo foi sentido esta manhã na região da Grande Lisboa. O abalo foi registado às 7h44, com epicentro em Sobral de Monte Agraço e magnitude de 4.3, informa o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

    Em atualização

  • "É terrorismo, politiquice e interesse económico"
    0:45

    País

    A situação em Mação, no distrito de Santarém, continua muito complicada para os operacionais e para as populações que tentam combater as chamas. Os populares dizem que é de "lastimar" a aflição que se vive.

  • GNR resgata 45 sírios no mar Egeu
    2:28

    Crise Migratória na Europa

    A Guarda Nacional Republicana já resgatou quase 300 migrantes no mar Egeu, ao largo da Grécia, desde o início de maio. Esta quarta-feira de madrugada, os militares salvaram 45 sírios que tentavam chegar à Grécia numa embarcação de borracha.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.