sicnot

Perfil

Desporto

Víctor Valdés admite que a sua saída do Barcelona não foi a desejada

O guarda-redes espanhol Víctor Valdés admitiu hoje que, caso pudesse, teria saído de outra forma do FC Barcelona, único clube que conheceu antes de na última época, depois de uma grave lesão, se ter mudado para o Manchester United.

© Reuters Staff / Reuters

"Houve uma falta e como capitão de equipa fui pressionar o árbitro. O árbitro acabou por me dar razão e em vez de penalti assinalou libre direto. Aquela decisão mudou a minha vida. Se tivesse sido penalti provavelmente não me teria lesionado", comentou Valdés sobre o lance que viria a culminar com uma grave lesão no seu joelho direito num jogo frente ao Celta de Vigo.

O internacional espanhol, de 33 anos, admite que a lesão o fez regressar à vida real, longe da vida mediática, e que, muito por culpa do seu carater, a sua saída do clube catalão não foi a desejada, já que hoje em dia admite que talvez o clube esperasse um pouco mais dele.

"Depois da lesão voltei a pagar um café, a tocar em moedas, a comprar o meu bilhete de transportes públicos e, de moletas, a andar sozinho nos transportes. Hoje em dia tenho consciência de que fui eu que me afastei e ainda hoje me recrimino por isso", disse.

Depois de ter representado o Barcelona, clube ao serviço do qual venceu, entre outros, três Ligas dos Campeões, seis ligas espanholas e duas Taças do Rei, Valdés, após a lesão, optou por relançar a carreira ao serviço dos ingleses do Manchester United, mas a experiência ao serviço dos 'red devils' não tem corrido da melhor forma, tendo completado apenas dois jogos ao serviço da equipa principal.

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.