sicnot

Perfil

Desporto

Nelson Évora conquista bronze

GALERIA DE IMAGENS

Nélson Évora conquistou há instantes a medalha de bronze em triplo salto nos campeonatos do mundo de atletismo em Pequim. O atleta português saltou 17 metros e 52 centímetros à última tentativa, quando estava em quarto lugar. Foi a melhor marca desde que se lesionou, há quase 3 anos.

© Kim Kyung Hoon / Reuters

© Phil Noble / Reuters

© Dylan Martinez / Reuters

© Dylan Martinez / Reuters

© Dylan Martinez / Reuters

© Phil Noble / Reuters

© Phil Noble / Reuters

Num concurso ganho pelo norte-americano Christian Taylor, com 18,21, a segunda melhor marca história, somente atrás dos 18,29 de Jonathan Edwards, Nelson Évora assegurou um lugar no pódio com o seu melhor salto da temporada, depois de ter chegado a Pequim com 17,24 em 2015.

Campeão olímpico em 2008, também no Ninho de Pássaro, em Pequim, o atleta do Benfica, de 31 anos, regressa às medalhas em Mundiais depois de ter conquistado o título em 2007 e a prata em 2009.

O atleta do Benfica, atual campeão europeu, abriu o concurso com 17,28 metros e melhorou o seu melhor registo da época para 17,29 no terceiro salto, depois de um segundo ensaio nulo.

Após um quarto e quinto saltos igualmente inválidos, Nelson Évora perdeu a terceira posição para Omar Craddock, que pulou 17,37 na sua quinta tentativa, mas o norte-americano não fez melhor no derradeiro ensaio e o português saltou 17,52 metros para a medalha de bronze.

Recordista nacional, com 17,74 metros conseguidos nos Mundiais de Osaka, em 2007, Nelson Évora não ultrapassava dos 17 metros e meio desde 2009, ainda antes da lesão que o afastou dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, e o manteve inativo durante quase ano e meio.

Quando fez 17,52 metros (vento: +0,3 metros/segundo), o português sabia que estava destinado à medalha de bronze, porque já só faltava saltar os grandes favoritos, o cubano Pedro Pablo Pichardo, que detinha a melhor marca da época (18,08), e Christian Taylor, campeão olímpico em título em campeão mundial em 2011, numa luta além dos 17,60.

Taylor passou para a frente ao quarto ensaio, com 17,68, que suplantava os 17,60 do cubano, e confirmou o ouro na última tentativa, com um salto 'estratosférico' de 18,21, ao qual Pichardo respondeu com 17,73, que foi o seu melhor registo da noite, mas insuficiente para chegar ao título.

Com Lusa

  • O dia em que o Brexit começa
    1:25

    Brexit

    A primeira-ministra britânica já assinou a carta que vai enviar ao Conselho Europeu para formalizar a vontade do Reino Unido de sair da União Europeia. O artigo 50.º do Tratado de Lisboa será ativado nas próximas horas. Na véspera, Theresa May recebeu da Escócia um novo contratempo político.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Governo vai dar mais meios à investigação criminal
    2:34

    País

    A ministra da Justiça garante que o Governo vai dar mais meios à investigação criminal, mas assegura que não vai mexer nos prazos dos inquéritos. A questão tem sido insistentemente levantada pela defesa de José Sócrates, que se queixa de que a Operação Marquês já ultrapassou todos os prazos.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.