sicnot

Perfil

Desporto

Treinador de equipa checa castiga jogadores com 'trabalhos forçados'

O treinador do Banik Ostrava, Radomir Korytar, castigou os futebolistas do plantel a trabalhar na melhoria do centro de treinos do clube da Liga checa, na sequência dos maus resultados alcançados até agora.

"Desta forma os jogadores sabem o que lhes vai acontecer, caso não tenham um bom desempenho na sua profissão", afirmou o técnico checo, numa tentativa de retomar o caminho das vitórias. (Arquivo)

"Desta forma os jogadores sabem o que lhes vai acontecer, caso não tenham um bom desempenho na sua profissão", afirmou o técnico checo, numa tentativa de retomar o caminho das vitórias. (Arquivo)

DR

"Desta forma os jogadores sabem o que lhes vai acontecer, caso não tenham um bom desempenho na sua profissão", afirmou o técnico checo, numa tentativa de retomar o caminho das vitórias.

Os jogadores do Banik Ostrava, que se reúnem todos os dias às 06:45 horas, chegam 'equipados' com enxadas, ancinhos, pás e serras, com o objetivo de melhorar o aspeto do centro de treinos do clube.

"Alguns jogadores aceitam-no com bom humor, mas outros queixam-se de dores nos braços, como o médio brasileiro Dyjan", disse o técnico, em entrevista a um jornal desportivo checo.

Korytar disse ainda que, além dos 'trabalhos forçados', os jogadores vão continuar a ter duas sessões de treino por dia para que entendam o privilégio de ser futebolista.

"O programa de trabalho tem como objetivo incrementar o espírito de equipa, numa tentativa de mobilizar as nossas forças para a recuperação", explicou o clube checo, em comunicado.

O Banik Ostrava, campeão checo por quatro vezes, está na última posição do campeonato, com apenas um ponto em cinco jogos.

No entanto, o motivo de maior preocupação para Korytar foi a derrota no jogo da Taça, por 4-3, frente ao Rymarov, do quarto escalão.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada desde domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.