sicnot

Perfil

Desporto

Hamilton dá passo de gigante rumo à revalidação do Mundial de Fórmula 1

O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) deu hoje um passo de gigante rumo à revalidação do título Mundial de Fórmula 1, ao vencer o Grande Prémio de Itália e beneficiar da desistência do seu companheiro de equipa.

SRDJAN SUKI/EPA

Em Monza, território da Ferrari, Hamilton dominou por completo, ao conseguir a 'pole', sábado, e comandar hoje a corrida do princípio ao fim, rumo ao seu sétimo triunfo da temporada e 40.º da carreira, para, no final, ser ainda 'brindado' com o abandono do alemão Nico Rosberg.

Após 12 provas, o campeão mundial em 2008 e 2014, que também fez a volta mais rápida da corrida (1.26,672 minutos), passou a contar mais 53 pontos do que Rosberg, margem que dificilmente perderá nas últimas sete corridas.

A única emoção no que respeita à vitória apenas aconteceu depois de terminada a corrida, quando os carros da Mercedes foram colocados sob investigação devido a alegada baixa pressão dos pneus. Não se confirmou qualquer penalização.

Perante os seus adeptos, o alemão Sebastian Vettel não conseguiu oferecer a vitória aos 'tifosi' da Ferrari, mas fez o melhor possível, conseguindo o segundo posto, a longos 25,042 segundos de Hamilton.

No campeonato, o germânico, terceiro da tabela, aproximou-se de Rosberg (reduziu a distância de 39 para 21 pontos) e aumentou a vantagem para os perseguidores, nomeadamente o brasileiro Felipe Massa (Williams).

Massa fechou o pódio de Monza, a 47,635 segundos do vencedor, com o seu companheiro de equipa, o finlandês Valtteri Bottas a terminar logo a seguir, na quarta posição, a 47,996.

Na mesma volta de Hamilton, acabaram ainda o finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari), que partiu da primeira fila da grelha, mas falhou a partida e caiu para último, para acabar em quinto, imediatamente à frente do mexicano Sergio Pérez (Force Índia).

O Grande Prémio de Itália começou de forma inesperada, com Raikkonen a falhar a partida e a ser passado por todo o pelotão, enquanto Hamilton assumia o comando e Rosberg, que estava logo atrás do finlandês, caia para o sexto posto.

A emoção marcou os primeiros momentos, mas 'desapareceu' à velocidade do líder da corrida, que foi ganhando avanço sobre Vettel, enquanto este também seguia tranquilo no segundo posto, seguido pelos dois carros da Williams.

Na parte final, Rosberg, que entretanto passara Massa e Bottas, ainda se chegou à traseira de Vettel, mas acabou por desistir, com o motor partido.

Indiferente a isso, Hamilton seguiu para o triunfo, que chegou a ser colocado em causa no final, por causa da pressão dos pneus, que estariam abaixo do limite permitido aquando da partida, mas acabou por ser confirmada.

Lusa