sicnot

Perfil

Desporto

Maradona diz que "Blatter ensinou Platini a roubar"

O antigo futebolista Diego Maradona voltou hoje a criticar Joseph Blatter, presidente demissionário da FIFA, e Michel Platini, dirigente máximo da UEFA e principal candidato a suceder ao suíço, afirmando que "Blatter ensinou Platini a roubar".

Maradona e Platini durante uma conferência no Dubai, em dezembro de 2012 (Reuters/ Arquivo)

Maradona e Platini durante uma conferência no Dubai, em dezembro de 2012 (Reuters/ Arquivo)

© Stringer . / Reuters

"Blatter e Platini estragaram o futebol. Eles fingem estar separados, um na FIFA e outro na UEFA, mas sempre estiverem ao lado um do outro. Blatter ensinou o Platini a roubar" disse Maradona à imprensa italiana.

O antigo internacional argentino afirmou que está do "lado de fora" porque Blatter lhe fechou "todas as portas".

Maradona reforçou o seu apoio ao príncipe Ali bin al-Hussein, da Jordânia, na sua candidatura à presidência da FIFA.

"Se for ele [príncipe Ali] a vencer as eleições, eu serei o seu vice-presidente", revelou.

Lusa

  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.

  • Inspetores do SEF cansados das promessas do Governo
    1:00

    País

    O sindicato do SEF garante que a segurança contra o terrorismo vai ser assegurada na greve de quinta-feira e sexta-feira nos aeroportos. Acácio Pereira, do sindicato, diz que os inspetores são quase escravos e que estão fartos das promessas do Governo. A greve deverá afetar cerca de 30 mil pessoas. 

  • Graça Fonseca, a primeira governante a assumir-se homossexual
    1:02

    País

    A secretária de Estado da Modernização Administrativa deu uma entrevista ao Diário de Notícias onde assume a sua homossexualidade. É a primeira vez que um governante português o faz. Graça Fonseca assume esta posição pública como uma "afirmação política".