sicnot

Perfil

Desporto

Budapeste, Hamburgo, Los Angeles, Paris e Roma candidatas aos Jogos Olímpicos de 2024

Budapeste, Hamburgo, Los Angeles, Paris e Roma são as cinco cidades candidatas à organização dos Jogos de 2024, anunciou hoje o Comité Olímpico Internacional (COI), que elegerá o anfitrião em setembro de 2017, em Lima.

A chama olímpica chegou por fim ao seu destino final: a cidade russa de Sochi, onde vão decorrer os Jogos Olímpicos de inverno, de 7 a 23 de fevereiro.

A chama olímpica chegou por fim ao seu destino final: a cidade russa de Sochi, onde vão decorrer os Jogos Olímpicos de inverno, de 7 a 23 de fevereiro.

ANATOLY MALTSEV

De fora da corrida ficaram Toronto e Baku, que abdicaram na reta final do prazo para a formalização das candidaturas, que encerrou na terça-feira.

"Temos cinco cidades com qualidades excecionais", comentou o presidente do COI, o alemão Thomas Bach, lembrando que o vencedor receberá um 'cheque' no valor de 1,5 mil milhões de euros como financiamento para a organização do maior evento desportivo mundial.

Los Angeles, que ocupou a 'vaga' dos Estados Unidos com a desistência de Boston, e Paris, considerada o 'berço' o olimpismo moderno, são apontadas como os 'pesos pesados' nesta candidatura.

Hamburgo apresentou, porém, um dossier ainda condicionado a referendo popular, agendado para 29 de novembro, pois serão os habitantes da cidade alemã a decidir em definitivo se aceitam a candidatura aos Jogos de 2024, numa altura em que as sondagens apontam para uma vitória clara do 'sim'.

Roma conta com o apoio total do governo italiano e Budapeste estará no final do 'pelotão', em virtude da pouca experiência em acolher grandes eventos desportivos e os poucos argumentos na área das infraestruturas.

A próxima edição dos Jogos Olímpicos está marcada para 2016, no Rio de Janeiro, enquanto Tóquio será o anfitrião em 2020.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18