sicnot

Perfil

Desporto

Bayern Munique envia nota de protesto à UEFA

O Bayern de Munique enviou esta segunda-feira um protesto à UEFA, devido a uma carga policial que os seus adeptos sofreram na Grécia, antes do início do jogo contra o Olympiacos, da Liga dos Campeões, a 16 de setembro.

Segundo o comunicado dos bávaros, os adeptos de Bayern Munique e Olympiacos envolveram-se numa "troca de provocações", antes do início do jogo da primeira jornada do Grupo F da Liga dos Campeões, o que fez com que as forças policiais procedessem "de forma veemente e agressiva".

Segundo o comunicado dos bávaros, os adeptos de Bayern Munique e Olympiacos envolveram-se numa "troca de provocações", antes do início do jogo da primeira jornada do Grupo F da Liga dos Campeões, o que fez com que as forças policiais procedessem "de forma veemente e agressiva".

© Alkis Konstantinidis / Reuters

Segundo o comunicado dos bávaros, os adeptos de ambos os clubes envolveram-se numa "troca de provocações", antes do início do jogo da primeira jornada do Grupo F da Liga dos Campeões, o que fez com que as forças policiais procedessem "de forma veemente e agressiva".

O clube alegou ainda que alguns dos seus seguidores ficaram feridos e necessitaram de assistência médica.

Apesar dos confrontos entre adeptos, os alemães salientaram a cooperação "estreita e construtiva" com o Olympiacos, relativamente à segurança.

Lusa

  • Braga perde com Shakhtar e fica fora dos 16 avos de final da Liga Europa
    3:16
  • Ronaldo não está preocupado com repercussões de eventual fuga fiscal
    1:30

    Football Leaks

    Cristiano Ronaldo diz que quem não deve não teme. O avançado português não se mostra preocupado com as notícias que revelam que o jogador não terá declarado os rendimentos da publicidade ao fisco espanhol. Fontes do Ministério das Finanças do país vizinho confirmaram ao jornal El Mundo que o português está a ser investigado há ano e meio.

  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.