sicnot

Perfil

Desporto

Liga Francesa ordena encerramento de parte do estádio do Marselha

A Liga Francesa de Futebol (LFF) ordenou o encerramento dos setores norte e sul do estádio do Marselha, onde habitualmente se juntam as claques mais violentas do clube francês, depois dos acontecimentos de domingo no jogo frente do Lyon.

O jogo de domingo entre o Marselha e o Lyon ficou marcado por incidentes que levaram à interrupção do jogo aos 60 minutos, quando o Lyon vencia por 1-0 e o Marselha jogava com menos uma unidade, devido à expulsão de Alessandrini, aos 44.

O jogo de domingo entre o Marselha e o Lyon ficou marcado por incidentes que levaram à interrupção do jogo aos 60 minutos, quando o Lyon vencia por 1-0 e o Marselha jogava com menos uma unidade, devido à expulsão de Alessandrini, aos 44.

GUILLAUME HORCAJUELO / Lusa

O encerramento deverá manter-se até à conclusão de um inquérito por parte da comissão disciplinar da LFF.

"A gravidade dos factos e o contexto de recorrência" motivaram a decisão, disse o presidente da comissão disciplinar, Sebastien Deneux.

O jogo de domingo entre o Marselha e o Lyon ficou marcado por incidentes que levaram à interrupção do jogo aos 60 minutos, quando o Lyon vencia por 1-0 e o Marselha jogava com menos uma unidade, devido à expulsão de Alessandrini, aos 44.

Após mais de 20 minutos de interrupção, o encontro foi retomado e Rekik acabou por fazer o golo do empate, aos 68 minutos.

Na sequência dos incidentes, o presidente da LFF, Frédéric Thiriez, defendeu um endurecimento das sanções pecuniárias e desportivas a impor aos clubes por atos de violência.

O presidente da LFF considerou que o atual limite de 50.000 euros de multa é "demasiado baixo" e admitiu que talvez seja preciso "impor cifras com mais alguns zeros".

O ministro do Desporto francês classificou, por seu turno, como "inaceitáveis" os incidentes ocorridos no domingo e lembrou que o país vai organizar, dentro de poucos meses, o Euro2016, que vai decorrer de 10 de junho a 10 de julho.

Numa reação às declarações do ministro do Desporto, Frédéric Thiriez garantiu que todos os irão assistir aos jogos do Euro "estarão seguros".

Três adeptos do Marselha com idades entre os 18 e 29 anos foram entretanto condenados a penas de prisão entre quatro e seis meses na sequência de incidentes.

Os adeptos do Marselha foram acusados de assalto armado contra agentes da autoridade -- foram detetados a arremessar pedras e copos na direção das forças policiais -- durante o jogo que decorreu no estádio Velodrome, do Marselha.

Os acusados, que estão impedidos de assistir a todos os jogos do Marselha durante dois anos, serão ainda presentes a um tribunal de primeira instância, que pode decidir comutar a pena para trabalho comunitário.

Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.