sicnot

Perfil

Desporto

Messi vai parar entre "sete a oito semanas"

O argentino Lionel Messi vai ficar afastado dos relvados entre "sete a oito semanas", depois de hoje se ter lesionado face ao Las Palmas, confirmou hoje o FC Barcelona, em comunicado.

© Sergio Perez / Reuters

"Os exames confirmaram que Leo Messi sofreu uma rotura no ligamento lateral interno do joelho esquerdo. A estimativa de paragem é de sete a oito semanas", anunciou o clube catalão.

Caso se confirme este cenário, o argentino falhará cinco jornadas da Liga espanhola, três da 'Champions' e os quatro primeiros jogos da Argentina de apuramento para o Mundial de 2018, podendo regressar face ao Real Madrid, a 21 de novembro.

O argentino lesionou-se logo aos três minutos, num choque com Bigas, quando rematava à baliza do Las Palmas, e foi substituído aos 10, por Munir. Deslocou-se de imediato a um hospital, do qual saiu a coxear e com o pior diagnóstico.

Sem Messi, foi o uruguaio Luis Suárez que 'salvou' a tarde ao 'Barça', com um 'bis', aos 25 e 54 minutos, num embate em que o brasileiro Neymar falhou uma grande penalidade, aos 66, ao atirar por cima da barra.

Aos 88 minutos, o Las Palmas ainda reduziu, por Jonathan Viera, mas o 'Barça', novamente muito perdulário, conseguiu segurar a vitória, que lhe permite ascender, à condição, à liderança da prova.

O FC Barcelona soma 15 pontos, mas pode ser ultrapassado ainda hoje por Real Madrid (anfitrião do Málaga) e Celta de Vigo (joga no reduto do Eibar), que contabilizam 13.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.