sicnot

Perfil

Desporto

APAF desafia Bruno de Carvalho a provar alegados aliciamentos a árbitros

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) está a analisar as declarações do presidente do Sporting sobre alegados aliciamentos a árbitros por parte do Benfica e desafiou Bruno de Carvalho a provar o que disse na TVI24.

"Estamos a analisar essas declarações, que são muito recentes. Aquilo que jamais iremos admitir é que ponham em causa a idoneidade das nossas equipas de arbitragem. Se têm algo que possam provar que o provem, porque nós seremos também os primeiros a fazê-lo", disse hoje à agência Lusa o presidente da APAF.

Na segunda-feira, o presidente do Sporting denunciou na TVI24 alegados aliciamentos a árbitros feitos pelo Benfica, referindo que, por ano, o valor que os 'encarnados' despendem em jantares e prendas ronda "um quarto de milhão de euros".

Fontelas Gomes garantiu que os "os árbitros cumprem à risca as instruções do código de ética da UEFA", segundo o qual podem aceitar ofertas até 200 francos suíços (183 euros), e referiu que a oferta de camisolas "é uma prática feita por toda a Europa".

O presidente da APF explicou que os árbitros, se virem "algo que não se enquadre dentro desses parâmetros, devem reportá-lo às autoridades competentes e no relatório de jogo".

Fontelas Gomes assegurou que a APAF nunca teve conhecimento de qualquer violação desse regulamento: "Nunca tivemos qualquer 'report' de que houvesse algo que fosse anormal, por isso estamos perfeitamente tranquilos em relação aquilo que são as práticas por essa Europa fora.

Contactada pela Lusa, fonte do Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol, garantiu que o organismo "está em permanente contacto com a APAF e sempre empenhado em salvaguardar o bom nome dos árbitros".

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão