sicnot

Perfil

Desporto

Issa Hayatou assume presidência interina da FIFA

O camaronês Issa Hayatou, presidente da Confederação Africana de Futebol (CAF), foi hoje designado presidente interino da FIFA, depois da suspensão de 90 dias aplicada a Joseph Blatter.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Radu Sigheti / Reuters

"Joseph Blatter não pode representar a FIFA por um período de 90 dias", esclareceu o organismo em comunicado, explicando que, segundo os estatutos, Hayatou assume a presidência interinamente "por ser o mais antigo vice-presidente do Comité Executivo".

Joseph Blatter e o presidente da UEFA, Michel Platini, foram suspensos provisoriamente por 90 dias pelo Comité de Ética do organismo que rege o futebol mundial.

Blatter e Platini - que é candidato a suceder ao suíço na presidência da FIFA, nas eleições marcadas para 26 de fevereiro de 2016 - foram suspensos em consequência da sua implicação no escândalo de corrupção que atingiu da instituição.

O secretário-geral da FIFA, o francês Jérôme Valcke, também foi suspenso provisoriamente por 90 dias, e o sul-coreano Chung Mong-Joon, que também já assumiu a candidatura à sucessão de Blatter na presidência do organismo, foi suspenso por seis anos.

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.