sicnot

Perfil

Desporto

Miguel Oliveira fica em segundo lugar no Grande Prémio do Japão

O português Miguel Oliveira (KTM) conquistou hoje o segundo lugar na corrida de Moto3 do Grande Prémio do Japão, 15.ª prova do Mundial de velocidade.

KIMIMASA MAYAMA

Depois de três vitórias, em Itália, Holanda e Espanha, Oliveira ficou em segundo no circuito de Motegui, atrás do italiano Niccolo Antonelli (Honda).

O português terminou a prova em 28.04,444 minutos, apenas mais 1,053 segundos que Antonelli.

O espanhol Jorge Navarro (Honda) assegurou o terceiro lugar, com o britânico Danny Kent (Honda), líder do Mundial, a terminar em sexto.

Os atrasos devido às condições meteorológicas fizeram que com que a corrida de Moto3 fosse reduzida para 13 voltas.

Quando faltam três provas para o final do Mundial, Miguel Oliveira segue no terceiro lugar do Mundial de pilotos, agora com 179 pontos. Kent continua a liderar, com 244 pontos, seguindo de Bastianini, com 188.

No próximo ano, Miguel Oliveira será 'promovido' à categoria de Moto2, escalão intermédio, ao serviço da Leopard Racing.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.