sicnot

Perfil

Desporto

Miguel Oliveira fica em segundo lugar no Grande Prémio do Japão

O português Miguel Oliveira (KTM) conquistou hoje o segundo lugar na corrida de Moto3 do Grande Prémio do Japão, 15.ª prova do Mundial de velocidade.

KIMIMASA MAYAMA

Depois de três vitórias, em Itália, Holanda e Espanha, Oliveira ficou em segundo no circuito de Motegui, atrás do italiano Niccolo Antonelli (Honda).

O português terminou a prova em 28.04,444 minutos, apenas mais 1,053 segundos que Antonelli.

O espanhol Jorge Navarro (Honda) assegurou o terceiro lugar, com o britânico Danny Kent (Honda), líder do Mundial, a terminar em sexto.

Os atrasos devido às condições meteorológicas fizeram que com que a corrida de Moto3 fosse reduzida para 13 voltas.

Quando faltam três provas para o final do Mundial, Miguel Oliveira segue no terceiro lugar do Mundial de pilotos, agora com 179 pontos. Kent continua a liderar, com 244 pontos, seguindo de Bastianini, com 188.

No próximo ano, Miguel Oliveira será 'promovido' à categoria de Moto2, escalão intermédio, ao serviço da Leopard Racing.

Lusa

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.