sicnot

Perfil

Desporto

Mourinho critica federação inglesa e diz-se feliz por poder andar sem pulseira eletrónica

José Mourinho criticou hoje a dualidade de critérios da Federação Inglesa de Futebol (FA), que o puniu por críticas à arbitragem, mas poupou Arsène Wenger, e considerou-se satisfeito por poder andar sem pulseira eletrónica.

© Reuters Staff / Reuters

"Cada palavra que eu faço é um grande risco para mim. Estou feliz por não ter de usar pulseira eletrónica. Penso que não estamos longe disso", disse o treinador do Chelsea, à margem da apresentação da sua autobiografia fotográfica, em Londres.

A FA decidiu na quarta-feira suspender o técnico português por um jogo, devido a críticas à arbitragem, castigo a que soma uma multa de 68 mil euros.

"Também penso que 68 mil euros no mundo em que vivemos hoje é uma desgraça. E que a possibilidade de ser banido dos estádios é completamente assombroso", prosseguiu.

Mourinho deixou claro o seu descontentamento pelo facto de ter sido castigado, enquanto Wenger foi poupado sem qualquer punição depois de chamar "fraco" e "ingénuo" ao árbitro Mike Dean, na sequência da derrota do Arsenal com o Chelsea no mês passado.

"A diferença de medo para fraco e ingénuo são 13.600 euros e o afastamento dos estádios por um jogo. A única coisa boa desta decisão da FA é que cada treinador neste país pode escrever no seu diário que medroso custa 68 mil euros. Fraco e ingénuo -- podes fazê-lo", ironizou o treinador, que se voltar a falar 'fora de tom' nos próximos 12 meses poderá ser banido dos estádios por um encontro.

A FA decidiu punir as declarações de Mourinho após a derrota em casa (3-1) com o Southampton, na oitava jornada da liga inglesa, que após o encontro considerou que a arbitragem foi parcial e que violou os regulamentos, adiantando também que os árbitros têm medo de tomar decisões que favoreçam a equipa 'blue'.

Em causa está um lance que envolveu o avançado Falcao e o guarda-redes adversário, em que o árbitro considerou que o colombiano simulou uma grande penalidade.

A fazer um início de temporada abaixo das expetativas, o Chelsea ocupa atualmente o 16.º posto da liga inglesa, com oito pontos em oito jogos, o que representa o pior início de época do clube desde a época 1978-79.

Lusa

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.