sicnot

Perfil

Desporto

Rali de Portugal 2015 gerou retorno recorde de 127,4 milhões de euros

O Rali de Portugal 2015 gerou um impacto económico recorde de 127,4 milhões de euros de retorno para uma despesa direta de 65 milhões de euros, revela um estudo hoje divulgado da Universidade do Algarve.

(Arquivo)

(Arquivo)

Paulo Duarte / AP

O trabalho apresentado por Fernando Perna e levado a cabo pelo Centro Internacional de Investigação do Território e Turismo daquela universidade em parceria com a Universidade do Minho desenvolveu-se ao longo de nove meses, nele participando 11 elementos, e abrangeu sete locais onde, entre os dias 21 e 24 de maio, passou o rali, num total de 1.163 entrevistas.

O estudo, apresentado nas instalações da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN), no Porto, apresenta ainda nas conclusões uma "receita fiscal bruta de 24,3 milhões de euros" para o Estado português.

Numa análise ao impacto do que é designado o "maior evento desportivo organizado em Portugal desde o Euro2004", Fernando Perna explicou que as "centenas de milhares de turistas e visitantes" que assistiram ao Rali de Portugal no norte de Portugal "geraram um fluxo turístico inigualável", com "82 por cento a classificarem o destino como bom ou muito bom".

As entrevistas efetuadas continuam a mostrar elevados índices de satisfação quando o tema foi o regresso à região, para férias, nos próximos três anos, com a resposta afirmativa e cifrar-se entre os "61,6 e os 89,2 por cento". O número situa-se entre "79,9 e 92,7 por cento" quando se pergunta se recomendaria o destino aos amigos.

E com 42 por cento dos visitantes a serem oriundos "de 16 das 17 províncias de Espanha", acrescentou o catedrático que "as 16 nações encontradas a assistir ao evento não se circunscreveram à Europa, tendo sido encontrados também adeptos provenientes dos Estados Unidos e do Canadá".

Com 13 municípios a suportar os encargos da organização, que ascendeu aos três milhões de euros, o retorno "oscila entre os 358 mil e os 5,54 milhões de euros", estimando que "45 por cento da despesa direta teve origem não nacional", gerando um "fluxo turístico de exportações no valor imediato de 30,3 milhões de euros".

Em termos de visibilidade, o Rali de Portugal foi visto por 73,5 milhões de pessoas, representando "15 por cento do total das audiências da competição", sendo os países onde mais se registaram seguidores "a Polónia, França, Espanha, Finlândia e Itália".

Fazendo uma projeção para 2016 e avaliando, no período em que irá decorrer a prova em Portugal, Fernando Perna deu conta de que foi já possível perceber que "sete regiões de França, seis de Espanha e três de Itália têm voos marcados para o Norte do país", um sinal que "confirma o acentuado crescimento da prova em relação às edições anteriores", acrescentou.

A edição de 2015 do Rali de Portugal, ganha pelo finlandês Jari-Matti Latvala, marcou o regresso da competição à região Norte do país, depois de dez anos fixado no Algarve.

Lusa

  • Portugal com 3.ª maior dívida pública da UE

    Economia

    A dívida pública recuou, em termos homólogos, na zona euro e na União Europeia (UE), no primeiro trimestre, tendo Portugal registado a terceira maior dos 28 (130,5%), depois da Grécia e de Itália, divulga hoje o Eurostat.

  • Crianças no Daesh - 2ª Parte
    23:43
  • Montenegro e o futuro do PSD: "Não vou pedir licença para avançar"
    1:41

    País

    Luís Montenegro admite que se achar que é a pessoa ideal para a liderança do PSD, não vai pedir licença a ninguém para avançar. Em entrevista à SIC Notícias, o ex-líder parlamentar do PSD diz que está ao lado de Passos Coelho mas sublinha que é importante que haja uma clarificação na liderança do partido.

    Entrevista SIC Notícias

  • "Estes engenheiros não tiveram formação para exercer arquitetura"
    7:00

    País

    O Parlamento aprovou esta quarta-feira as propostas do PSD e do PAN para devolver aos engenheiros a possibilidade de assinarem projetos de arquitetura. Os aquitetos discordam da medida. José Manuel Pedreirinho, presidente da Ordem dos arquitetos, esteve na Edição da Noite da SIC Notícias para falar sobre o assunto.

    Entrevista SIC Notícias

  • "Foi uma grande honra ser deputado"
    1:23

    País

    Alberto Martins vai deixar a vida política, o socialista renunciou esta quarta-feira ao cargo de deputado, que ocupava há 30 anos, com algumas interrupções. Alberto Martins desempenhou funções de ministro da Reforma do Estado no segundo Governo de António Guterres, e de ministro da Justiça no segundo Executivo liderado por josé Sócrates. O socialista vai ser substituído por Hugo Carvalho.