sicnot

Perfil

Desporto

Beckenbauer admite que "foi até aos limites" mas nega corrupção

O antigo futebolista alemão Franz Beckenbauer admitiu esta terça-feira que o comité de candidatura, ao qual presidiu, foi "até aos limites" para conseguir a organização do Mundial de futebol de 2006, mas recusou a ideia de que tenha existido corrupção.

Em junho de 2014, o antigo capitão da seleção da Alemanha, foi suspenso por 90 dias de qualquer atividade relacionada com o futebol pela FIFA.

Em junho de 2014, o antigo capitão da seleção da Alemanha, foi suspenso por 90 dias de qualquer atividade relacionada com o futebol pela FIFA.

© Kim Hong-Ji / Reuters

"Quais eram os limites? Não havia uma Comissão de Ética [da FIFA], podíamos contactar diretamente com os membros do Comité Executivo. Fomos até ao limite. Eram outros tempos", afirmou Beckenbauer, em entrevista ao canal televisvo Sky.

O 'kaiser' voltou a referir que o pagamento de 6,7 milhões de euros pedido pela FIFA à federação alemã "era uma condição para receber uma subvenção de 250 milhões de euros" do organismo internacional.

Franz Beckenbauer negou qualquer acordo pessoal com Jack Warner, que em 2000 presidia à CONCACAF, e explicou que o que existia era um acordo entre a federação alemã e a CONCACAF.

Warner, que entretanto assumiu o cargo de vice-presidente da FIFA, está detido na Suíça e suspenso definitivamente pela Comissão de Ética da FIFA desde setembro, está sob investigação pela justiça norte-americana, por alegada corrupção e enriquecimento ilícito.

Beckenbauer, de 70 anos, está na linha da frente num escândalo que envolve a atribuição do Mundial2006 à Alemanha, na sequência de denúncia da revista Der Spiegel sobre presumíveis subornos para a Alemanha conquistar a organização, mas decisivas foram as notícias posteriores sobre evasão fiscal.

A revista revelou que o comité de candidatura alemão, em que tinha então assento o ex-presidente da Federação Wolfgang Niersbach, criou um 'saco azul' que usou para comprar votos visando ganhar a organização da prova realizada há nove anos.

Na votação, que decorreu no ano de 2000, a Alemanha ganhou o direito de organizar o Campeonato do Mundo por uma vantagem de um voto, tendo conquistado 12, contra os 11 da África do Sul, após a abstenção do neozelandês Charles Dempsey.

Beckenbauer, que deverá ser ouvido ainda hoje por uma comissão de inquérito externa à Federação Alemã de Futebol (DBF), garantiu estar "de consciência tranquila".

Lusa

  • Papa aprova canonização dos pastorinhos

    País

    O Papa Francisco promulgou esta manhã o decreto que reconhece o milagre atribuído aos beatos Francisco e Jacinta, conhecidos como os pastorinhos de Fátima, o que permite a canonização, anunciou a sala de imprensa da Santa Sé.

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.