sicnot

Perfil

Desporto

Presidente da FIFA diz que detenções de hoje revelam necessidade de mudança

As detenções de dois vice-presidentes da FIFA demonstraram a necessidade de reformas no organismo regulador do futebol mundial, defendeu hoje o seu presidente interino, o camaronês Issa Hayatou, em conferência de imprensa.

Issa Hayatou, presidente interino da FIFA

Issa Hayatou, presidente interino da FIFA

© Arnd Wiegmann / Reuters

"Hoje demos um grande passo nesse sentido porque o Comité Executivo aprovou várias propostas com o objetivo de concretizar mudanças necessárias e radicais na estrutura da FIFA, nas suas operações e procedimentos", disse Hayatou.

O líder da FIFA, na sequência das suspensões do presidente demissionário do organismo, o suíço Joseph Blatter, e do secretário-geral, o francês Jérôme Valcke, assinalou que estas mudanças "são inequívocas e constituem apenas o início da alteração da cultura na FIFA".

Entre as alterações aprovadas hoje pelo Comité Executivo estão a limitação de mandatos acumulados para 12 anos, para o presidente e membros do órgão de cúpula da FIFA, bem como a transparência dos salários dos principais dirigentes.

Horas antes, a justiça suíça tinha detido dois vice-presidentes da FIFA, o hondurenho Alfredo Hawit, que lidera interinamente a Confederação da América do Norte, Central e Caraíbas (Concacaf), e o paraguaio Juan Angel Napout, presidente da Confederação Sul-Americana (Conmebol).

Lusa

  • "É pesado dizer a miúdos que ainda ontem os pais estavam a ensinar o atar ténis que vão ficar em prisão preventiva"
    2:49
  • Pecado da gula ameaça maior anfíbio do mundo

    Mundo

    O maior anfíbio do mundo está em sério risco de extinção. Iguaria muito apreciada no Oriente, a salamandra-gigante-da-China já praticamente desapareceu do seu habitat natural, concluiu uma pesquisa realizada durante quatro anos. Em contraste, milhões destes animais são reproduzidos em cativeiro e têm como destino restaurantes de luxo.

  • Reclusos limpam Ria Formosa
    3:01

    País

    Alguns reclusos do estabelecimento prisional de Olhão estão pela segunda vez a limpar a ilha da Armona, na Ria Formosa. São homens que beneficiam de regime aberto e, em fim de cumprimento de pena, têm com este trabalho uma amostra da liberdade que tanto aguardam.