sicnot

Perfil

Desporto

Michel Platini qualifica suspensão como uma "verdadeira farsa"

O presidente a UEFA, o francês Michel Platini, suspenso por oito anos de toda a atividade ligada ao futebol, qualificou hoje como uma "verdadeira farsa" a decisão do Comité de Ética da FIFA.

© Eric Gaillard / Reuters

Platini, que lidera a UEFA e é vice-presidente da FIFA, e o suíço Joseph Blatter, presidente demissionário da FIFA, foram hoje suspensos por oito anos de toda a atividade ligada ao futebol.

O francês, que estava na corrida à presidência da FIFA, disse, em nota enviada à agência AFP tratar-se de uma "farsa" que é "levada a cena" pela "sujidade" de instâncias às quais não reconhece legitimidade e credibilidade.

"Paralelamente a um recurso para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), estou determinado, de futuro, a recorrer à justiça civil para obter a reparação integral por todos os danos que tenho sofrido ao longo destas semanas e em todo o processo", salientou o ex-futebolista e responsável máximo da UEFA.

Também hoje, dia em que foi conhecida a suspensão, o organismo do futebol europeu mostrou-se desapontado com a decisão do Comité de Ética da FIFA, lembrando que a mesma é passível de recurso.

"Mais uma vez, a UEFA apoia o direito que Michel Platini tem a um processo transparente e a oportunidade de poder limpar o seu nome", lê-se numa pequena nota publicada pelo organismo no seu site oficial.

O comité da FIFA, que na semana passada ouviu Joseph Blatter e os advogados de Platini -- que se se recusou a comparecer -, indicou que a sanção "entra imediatamente em vigor" e tem "âmbito nacional e internacional".

Platini, que com esta decisão fica impedido de avançar com a sua candidatura à presidência da FIFA, foi punido com uma multa de 80.000 francos suíços (cerca de 74.000 euros).

Na base das suspensões está o facto de o comité ter considerado que o pagamento de uma verba de dois milhões de francos suíços (cerca de 1,8 milhões de euros) feito pela FIFA a Platini, após autorização de Blatter, "não tem base legal no acordo que ambos fizeram em agosto de 1999".

Blatter e Platini já estavam suspensos por 90 dias, devido a esta investigação, desde 08 de outubro, data em que o secretário-geral da FIFA, o francês Jérôme Valcke, também foi suspenso, igualmente por implicação no escândalo de corrupção que atinge a instituição.

A decisão do Comité de Ética da FIFA é passível de recurso, tanto de Blatter como de Platini, para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) e para a justiça civil suíça.

Lusa