sicnot

Perfil

Desporto

FC Porto considera que contrato com PT revela "confiança e otimismo" no futuro

O FC Porto considerou hoje que o contrato com a PT, para a transmissão dos jogos em casa na I Liga e patrocinador principal da equipa de futebol, revela "confiança e otimismo" no futuro.

© Duarte Sa / Reuters

"A administração do FC Porto congratula-se pelo contrato de longo alcance assinado com a PT. Sublinha-se ainda que, numa altura de forte contingência económica, as duas instituições tiveram a coragem de assumir um acordo que revela enorme confiança e otimismo em relação ao futuro e que reforça as relações entre as duas organizações", lê-se num comunicado divulgado hoje pela empresa.

O FC Porto anunciou hoje a venda dos direitos de transmissão televisiva dos jogos da I Liga no Estádio do Dragão, por dez épocas, a partir de 01 de julho de 2018, à PT, que ficou com o estatuto de patrocinador principal da equipa 'azul e branca', por sete épocas e meia, a partir de 01 de janeiro de 2016, data em que a operadora fica também com os direitos de transmissão do Porto Canal, por 12 épocas e meia, num negócio com um valor global de 457,5 milhões de euros.

No seu sítio oficial na Internet, os 'dragões' destacam que o clube assinou o "maior contrato da história do desporto português", com a cedência do direito de transmissão dos jogos em casa da I Liga de futebol e o patrocínio da equipa 'azul e branca'.

"Esta parceria com o FC Porto é mais um passo no compromisso diário com os nossos clientes e com os portugueses", referiu o presidente executivo da PT.

Paulo Neves acrescentou que "esta parceria, reforça, igualmente, o compromisso de longa data" que a empresa tem "com o desporto e com o futebol em particular, nomeadamente com a seleção portuguesa e recentemente, também, com Cristiano Ronaldo".

Lusa

  • FC Porto e Meo fecham acordo de 457,5 M€
    1:00

    Desporto

    FC Porto e Meo chegaram a acordo sobre os direitos televisivos dos jogos para o campeonato no Dragão. A operadora vai pagar aproximadamente 457,5 milhões de euros e garante ainda a publicidade nas camisolas dos azuis e brancos.

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),