sicnot

Perfil

Desporto

FC Porto falhou acordo com Lopetegui e rescindiu unilateralmente

O FC Porto anunciou hoje que rescindiu unilateralmente com Julen Lopetegui, depois de não ter chegado a acordo com o treinador espanhol, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O treinador do FC Porto ocupa a nona posição mundial, numa tabela liderada pelo treinador do Barcelona, Luis Enrique. (Arquivo)

O treinador do FC Porto ocupa a nona posição mundial, numa tabela liderada pelo treinador do Barcelona, Luis Enrique. (Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

"Na sequência da comunicação ao mercado efetuada no dia 08 de janeiro, a Futebol Clube do Porto -- Futebol, SAD vem esclarecer que, não tendo sido possível chegar a um acordo com o treinador Julen Lopetegui, rescindiu unilateralmente o seu contrato de trabalho desportivo", lê-se.

No mesmo documento, os 'dragões' esclarecem que "não existe, à data, qualquer negociação tendo em vista a contratação de um treinador para a equipa profissional de futebol A".

A 08 de janeiro, o FC Porto anunciou a saída do treinador espanhol, que estava no clube há uma época e meia, dois dias depois do empate caseiro com o Rio Ave (1-1), que, na altura, era o terceiro jogo consecutivo sem vencer.

Rui Barros, que era adjunto de Lopetegui, tem comandado os 'dragões' de forma interina, somando dois triunfos sobre o Boavista, por 5-0 para o campeonato e por 1-0 para a Taça de Portugal.

O FC Porto é atualmente terceiro classificado da I Liga, com os mesmos pontos do Benfica, segundo, e a quatro do líder Sporting.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.