sicnot

Perfil

Desporto

Valentino Rossi pede mais "respeito" ao colega de equipa Jorge Lorenzo

Valentino Rossi afirmou esta segunda-feira que vai terminar a carreira na Yamaha e pediu "respeito" ao seu colega de equipa, o espanhol Jorge Lorenzo, na próxima temporada de Moto GP, que poderá ser a última do piloto italiano.

"Sempre respeitei o Jorge [Lorenzo], ele respeitou-me um pouco menos. Espero que agora o respeito seja mútuo", disse Rossi (D). (Arquivo)

"Sempre respeitei o Jorge [Lorenzo], ele respeitou-me um pouco menos. Espero que agora o respeito seja mútuo", disse Rossi (D). (Arquivo)

© Issei Kato / Reuters

"Gostava de continuar a competir depois de 2016, mas vamos ver. Mas sei que vou terminar a minha carreira na Yamaha. Quero manter o nível que alcancei durante as duas últimas épocas, é esse o meu objetivo. Veremos se serei capaz de lutar pelo título", afirmou Valentino Rossi, que falava na apresentação da nova Yamaha M1, em Barcelona.

Em 2015, o italiano ficou a cinco pontos de alcançar o seu décimo campeonato, acabando Lorenzo por conquistar o título, num final da temporada polémico entre os dois pilotos da Yamaha.

"Sempre respeitei o Jorge [Lorenzo], ele respeitou-me um pouco menos. Espero que agora o respeito seja mútuo", disse o piloto de 36 anos, que se prepara para a iniciar a sua 15.ª temporada no Moto GP.

No mesmo evento, Lorenzo desvalorizou a rivalidade com Rossi e defendeu que, o mais importante, é a Yamaha voltar a vencer o campeonato de construtores.

"Espero que a próxima época termine como a última, ou seja, com a equipa no primeiro lugar. Espero voltar a conquistar o título, mas se não for eu, que seja o Valentino", referiu o piloto espanhol, acrescentado que não há "qualquer problema" com o seu colega de equipa.

A nova temporada arranca a 20 de março, com o Grande Prémio do Qatar.

Lusa

  • Queda de avioneta em Espanha causa 4 mortos

    Mundo

    Uma avioneta com destino a Cascais, em que seguia uma família de quatro pessoas - dois adultos e dois menores - caiu em Sotillo de las Palomas, em Toledo, Espanha.

    Em desenvolvimento

  • Um discurso histórico com os pedidos de sempre
    2:30

    País

    Jerónimo de Sousa voltou este domingo a pedir a renegociação da dívida e a saída de Portugal do euro. Num discurso historicamente curto, apenas 15 minutos, no encerramento do Congresso do PCP, o reeleito secretário-geral comunista anunciou que o aumento dos salários e a reversão das alterações à legislação laboral são duas prioridades para os próximos tempos.

  • Mais de 50 milhões de italianos decidem futuro do país
    1:43

    Mundo

    Este domingo, está nas mãos de mais de 50 milhões de eleitores italianos o futuro do país. Mais do que um voto à reforma constitucional, o referendo terá consequências políticas diretas no Governo italiano. As urnas fecham às 23h00, 22h00 em Lisboa. Os primeiros resultados são esperados meia hora depois.