sicnot

Perfil

Desporto

Valentino Rossi pede mais "respeito" ao colega de equipa Jorge Lorenzo

Valentino Rossi afirmou esta segunda-feira que vai terminar a carreira na Yamaha e pediu "respeito" ao seu colega de equipa, o espanhol Jorge Lorenzo, na próxima temporada de Moto GP, que poderá ser a última do piloto italiano.

"Sempre respeitei o Jorge [Lorenzo], ele respeitou-me um pouco menos. Espero que agora o respeito seja mútuo", disse Rossi (D). (Arquivo)

"Sempre respeitei o Jorge [Lorenzo], ele respeitou-me um pouco menos. Espero que agora o respeito seja mútuo", disse Rossi (D). (Arquivo)

© Issei Kato / Reuters

"Gostava de continuar a competir depois de 2016, mas vamos ver. Mas sei que vou terminar a minha carreira na Yamaha. Quero manter o nível que alcancei durante as duas últimas épocas, é esse o meu objetivo. Veremos se serei capaz de lutar pelo título", afirmou Valentino Rossi, que falava na apresentação da nova Yamaha M1, em Barcelona.

Em 2015, o italiano ficou a cinco pontos de alcançar o seu décimo campeonato, acabando Lorenzo por conquistar o título, num final da temporada polémico entre os dois pilotos da Yamaha.

"Sempre respeitei o Jorge [Lorenzo], ele respeitou-me um pouco menos. Espero que agora o respeito seja mútuo", disse o piloto de 36 anos, que se prepara para a iniciar a sua 15.ª temporada no Moto GP.

No mesmo evento, Lorenzo desvalorizou a rivalidade com Rossi e defendeu que, o mais importante, é a Yamaha voltar a vencer o campeonato de construtores.

"Espero que a próxima época termine como a última, ou seja, com a equipa no primeiro lugar. Espero voltar a conquistar o título, mas se não for eu, que seja o Valentino", referiu o piloto espanhol, acrescentado que não há "qualquer problema" com o seu colega de equipa.

A nova temporada arranca a 20 de março, com o Grande Prémio do Qatar.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".