sicnot

Perfil

Desporto

Jorge Sampaoli chega a acordo para deixar seleção chilena

O treinador argentino Jorge Sampaoli deixou esta quarta-feira o cargo de selecionador do Chile de futebol, seis meses depois de ter conduzido o país à conquista da Taça América, anunciou a federação chilena.

A confirmação da saída de Sampaoli surge cinco dias depois de a federação chilena ter revelado que as negociações para a renovação de contrato tinham terminado sem qualquer acordo.

A confirmação da saída de Sampaoli surge cinco dias depois de a federação chilena ter revelado que as negociações para a renovação de contrato tinham terminado sem qualquer acordo.

© Reuters Photographer / Reuter

A confirmação da saída de Sampaoli surge cinco dias depois de a federação chilena ter revelado que as negociações para a renovação de contrato tinham terminado sem qualquer acordo.

"A federação e Jorge Sampaoli chegaram a acordo e dão por terminado o seu relacionamento contratural", pode ler-se no comunicado divulgado pela federação chilena.

Entre os nomes de eventuais sucessores está o do também argentino Marcelo Bielsa, que se encontra sem treinar desde que deixou os franceses do Marselha no princípio da época, e que já esteve à frente da seleção chilena entre 2007/2010.

Outro nome apontado é o de Eduardo Berizzo, igualmente argentino e atual técnico dos espanhóis do Celta de Vigo.

Lusa

  • Mais de 1600 ações de fiscalizações a IPSS em dois anos
    1:05

    Expresso da Meia Noite

    Nos últimos dois anos, o Estado efetuou mais de 1600 ações de fiscalização a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) das quais resultaram mais de 70 destituições e 80 participações ao Ministério Público (MP). Os números foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no programa Expresso da Meia-noite, na SIC Notícias.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33