sicnot

Perfil

Desporto

Árbitros de futebol exigem respeito e comportamentos sérios, responsáveis e racionais

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) exigiu hoje respeito aos agentes desportivos, aos quais apela "comportamento sério, responsável, construtivo e sobretudo racional", para a valorização da modalidade.

Até agora, os árbitros apenas podiam indicar a sua decisão através de comunicação verbal. (Arquivo)

Até agora, os árbitros apenas podiam indicar a sua decisão através de comunicação verbal. (Arquivo)

© Michaela Rehle / Reuters

O apelo, feito em comunicado, é "extensivo particularmente aos que merecem maior notoriedade pública e mediática", tendo como intuito o "fim do ruído e para a permanente valorização do futebol português"

"Este objetivo só será concretizável com a colaboração de todos os que participam neste espetáculo. Aos adeptos, o discurso e comportamento de adeptos. Aos dirigentes e demais agentes desportivos, a educação, a responsabilidade, e as atitudes de quem tem por missão fazer sempre parte da solução e nunca do problema", lê-se em comunicado.

A APAF salienta que "certos comportamentos, em absolutamente nada, credibilizam os valores do desporto e do 'fair-play'".

"Para que o crescimento desta indústria nunca seja boicotado por quem tem, em primeira instância, obrigação moral e ética de o proteger e desenvolver. A APAF e todas as equipas de arbitragem, desde os campeonatos distritais aos campeonatos profissionais, exigem respeito!", refere ainda a APAF.

O organismo acrescenta que continuará a pautar a sua intervenção no futebol "com uma atitude permanentemente positiva, profissional e responsável", mas não deixará de defender a sua atividade "através de todos os meios" que estiverem ao seu alcance", alertando ainda para a necessidade de que seja criada "regulamentação adequada" sobre esta matéria.

Lusa

  • Marcelo promete entregar carta de menina com paralisia cerebral ao primeiro-ministro
    3:05

    País

    O Presidente da República está preocupado com os cuidadores dos cidadãos que precisam de cuidados paliativos. No Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, que se assinalou este sábado, Marcelo Rebelo de Sousa visitou a Casa do Tejo, em Algés, onde três famílias de crianças com paralisia cerebral e outros problemas de saúde são recebidas em conjunto com os pais para que toda a famíla possa receber apoio de técnicos especializados. O Presidente recebeu uma carta de uma menina de 5 anos, com paralisia cerebral, e prometeu que a vai entregar ao primeiro-ministro, para que seja aberta uma porta legislativa mais larga para os problemas das pessoas deficientes.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02