sicnot

Perfil

Desporto

Bruno de Carvalho acha suspensão "normal", mas nega ter chamado corrupto ao árbitro

O presidente do Sporting afirmou hoje que a suspensão imposta pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) é "normal", mas negou que tenha chamado "corrupto" ao árbitro durante o encontro com o Tondela.

O presidente do Sporting incorre agora num processo disciplinar ao abrigo do artigo do regulamento disciplinar que diz respeito à Lesão da Honra e reputação dos agentes desportivos. (Arquivo)

O presidente do Sporting incorre agora num processo disciplinar ao abrigo do artigo do regulamento disciplinar que diz respeito à Lesão da Honra e reputação dos agentes desportivos. (Arquivo)

Lusa

Em entrevista à RTP3, Bruno de Carvalho admitiu que, no jogo da 18.ª jornada da I Liga, foi bem expulso pelo árbitro Luís Ferreira, mas negou que tenha utilizado a palavra "corrupto' quando se dirigiu ao juiz da Associação de Futebol de Braga.

"É falso, não disse isso. Não chamei corrupto a ninguém, não usei essa expressão. É uma palavra que nem gosto por causa da fonética", afirmou o dirigente 'leonino'.

Na terça-feira, o CD da FPF abriu um processo disciplinar a Bruno de Carvalho, que ficou suspenso preventivamente por 20 dias, devido aos incidentes ocorridos na partida que decorreu no Estádio José Alvalade.

"É uma decisão normal. São decisões que não são muito do meu agrado, acho que o futebol poderia ser bem mais célere, mas o futebol é assim. A partir do momento que fui expulso, o procedimento habitual é este e não estava a espera de mais nada", referiu o presidente do Sporting.

Apesar de ainda estar à espera do relatório do encontro Sporting-Tondela, Bruno de Carvalho assumiu que a sua exclusão do encontro foi "justa".

"Não estou indignado. Percebo ter sido expulso. A minha questão é com o que está escrito no relatório e, se aquilo que tem saído na comunicação social, é verdadeiro, então é completamente falso", frisou.

O presidente do Sporting abordou também a decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), que no final de dezembro de 2015 condenou o clube a pagar 12 milhões de euros à empresa Doyen.

"Há um erro que saiu na comunicação social. O Sporting tem três dias para pagar à Doyen se o jogador for vendido pelo Manchester United e não depois da decisão do TAS. O recurso que apresentámos não suspende o pagamento, mas há outros mecanismos que podem suspender", explicou.

Bruno de Carvalho assumiu que está à procura de contratar um defesa-central durante a reabertura do mercado de transferências, sobretudo devido à lesão de Tobias Figueiredo.

"Estamos a ver. Estamos a estudar com alguma calma. Temos centrais que asseguram ao Sporting um excelente futuro, procuramos talvez um jogador com maturidade", concluiu.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.