sicnot

Perfil

Desporto

Simon dificulta Djokovic, mas sérvio prossegue na defesa do título

O tenista sérvio Novak Djokovic, número um do mundo, foi hoje obrigado a aplicar-se a fundo para ultrapassar em cinco 'sets' o francês Gilles Simon e apurar-se para os quartos de final do Open da Austrália.

© Issei Kato / Reuters

Claro favorito a revalidar o título em Melbourne, Djokovic viu-se obrigado a disputar uma 'batalha' de 4:32 horas para superar o 14.º cabeça de série do primeiro 'Grand Slam' da temporada, vencendo com os parciais de 6-3, 6-7 (1-7), 6-4, 4-6 e 6-3.

"Frente a um jogador como o Gilles, temos de nos preparar para longas trocas de bola. Ele vai sempre nos obrigar a jogar um pouco maus", disse no final Djokovic, que marcou encontro nos quartos de final com o japonês Kei Nishikori, sétimo pré-designado.

Frente ao nono jogador do torneio, o francês Jo-Wilfried Tsonga, Nishikori colocou em campo o seu melhor ténis na presente edição da prova, vencendo o gaulês em cerca de 2:00, com os parciais de 6-4, 6-2 e 6-4.

"Hoje realizei um dos melhores encontros neta semana, Joguei bom ténis ao longo dos três 'sets'. Fiquei surpreendido por o ter quebrado sempre no início de cada 'set' e respondi bem hoje, o que o obrigava a ter de servir sempre bem ", disse Nishikori, que atinge pela terceira vez os quartos de final do torneio, quinta vez em 'grand slams'

Noutro encontro dos oitavos de final, o checo Tomas Berdych, sexto cabeça de série, foi obrigado a um quinto 'set' para afastar o espanhol Roberto Bautista Agut, vencendo ao final de 3:18 horas, com os parciais de 4-6, 6-4, 6-3, 1-6 e 6-3, defrontado na ronda seguinte o suíço Roger Federer.

O terceiro cabeça de série do torneio não sentiu hoje grandes dificuldades para ultrapassar o belga David Boffin, vencendo em 1:28 horas, com parciais de 6-2, 6-1 e 6-4.

No quadro feminino, a norte-americana Serena Williams, campeã em título e líder do 'ranking' mundial, desembaraçou-se com facilidade da russa Margarita Gasparyan, vencendo com os parciais de 6-2 e 6-1.

Nos quartos de final, Williams vai defrontar a russa Maria Sharapova, quinta pré-designada, numa reedição da final do ano passado, conquistada pela norte-americana.

Sharapova, que sofreu um pouco mais de oposição por parte da suíça Belinda Bencic, venceu igualmente em dois 'sets', com duplo 7-5.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.