sicnot

Perfil

Desporto

Manny Pacquiao diz que se baseou na bíblia para falar dos homossexuais

O pugilista filipino Manny Pacquiao, que recentemente classificou os homossexuais de serem "pior do que os animais", declarações que geraram uma onda de indignação nas redes sociais, afirmou hoje que baseou as suas palavras na bíblia.

"Lutarei com alguém em algum lugar. O combate ocorrerá, provavelmente, antes das eleições. Penso que o acordo está concluído em novembro ou dezembro", disse Pacquiao. (Arquivo)

"Lutarei com alguém em algum lugar. O combate ocorrerá, provavelmente, antes das eleições. Penso que o acordo está concluído em novembro ou dezembro", disse Pacquiao. (Arquivo)

© Steve Marcus / Reuters

"O que eu digo é verdade. Estou apenas a dizer a verdade. É o que a bíblia diz", disse Pacquiao aos jornalistas locais, em General Santos, a cidade natal do pugilista.

O atleta de 37 anos aderiu ao evangelismo em 2010 e garantiu ter sido escolhido por Deus para espalhar a mensagem de Cristo.

No início da semana, Pacquiao pronunciou-se contra os homossexuais numa entrevista concedida a um órgão de comunicação local, em que afirmou que os gays são "pior do que os animais".

"Veem animais a ter relações homossexuais? Os animais são melhores, sabem distinguir o masculino do feminino", disse, quando questionado sobre o que pensava do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

"Se aprovamos [o sexo de] homens com homens e mulheres com mulheres, isso significa que o homem é pior do que um animal", afirmou.

As declarações desencadearam uma onda de indignação nas redes sociais, com inúmeras personalidades a criticarem a postura do pugilista, e levou mesmo a marca desportiva norte-americana Nike a por fim ao contrato promocional que tinha com o pugilista.

Pacquiao é candidato ao senado das Filipinas nas eleições previstas para maio, devendo 'pendurar as luvas' antes dessa data.

O filipino foi campeão mundial em oito categorias de peso diferentes e tem uma marca de 57 vitórias (38 por KO), seis derrotas e dois empates.

Lusa

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.