sicnot

Perfil

Desporto

Federação alemã abre processo disciplinar a treinador do Bayer Leverkusen

A Federação alemã de futebol (DFB) abriu um procedimento disciplinar ao treinador Roger Schmidt, do Bayer Leverkusen, depois de o técnico se ter recusado no domingo a deixar o campo, após receber ordem de expulsão.

Roger Schmidt, treinador do Bayer Leverkusen.

Roger Schmidt, treinador do Bayer Leverkusen.

"É um procedimento normal e haverá certamente uma punição, embora não saiba dizer qual", salientou o presidente do comité de controlo da DFB, Anton Nachreiner.

A situação aconteceu depois de Schmidt protestar pelo facto de a falta que deu origem ao lance do golo do Borussia Dortmund, apontado por Aubameyang, aos 64 minutos, ter sido marcada uns metros à frente do que deveria.

O árbitro Felix Zwayer entendeu expulsar Roger Schmidt, mas o técnico não quis deixar o campo e acabou por ser a equipa de arbitragem a deixar o terreno de jogo, regressando mais tarde e só depois de o treinador acatar a expulsão.

"Cometi um erro que prejudicou a minha equipa", acabou por dizer Schmidt.

Também o responsável alemão pela arbitragem, Herbert Fandel, comentou a situação, insistindo que Zwayer tomou a decisão mais correta: "em nenhuma circunstância um treinador pode ignorar esta decisão".

O Bayer Leverkusen, que perdeu o jogo em casa com o Borussia Dortmund por 1-0, vinho de uma vitória em Alvalade frente ao Sporting (1-0), na primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa.

A equipa receberá os 'leões' na quinta-feira, em Leverkusen (18:00), no jogo da segunda mão.

Lusa

  • José Eduardo dos Santos há 38 anos no poder
    2:42

    Mundo

    José Eduardo dos Santos foi o segundo Presidente com mais tempo de liderança a nível mundial, quase 38 anos. Este ano, anunciou que não voltaria a concorrer às eleições, mas mantêm-se, por enquanto, como presidente do MPLA. No dia em que os angolanos foram às urnas para escolher o seu sucessor, apresentamos a vida de José Eduardo dos Santos.

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.