sicnot

Perfil

Desporto

Presidente do Palermo diz que Infantino ganhou porque "comprou mais votos"

O presidente do Palermo, Maurizio Zamparini, afirmou hoje que Gianni Infantino ganhou as eleições para a presidência da FIFA porque "comprou mais votos que o xeque" Salmn bin Ebrahim al-Khalifa, derrotado no escrutínio à segunda volta.

GREGORIO BORGIA

"O sistema não muda e o novo presidente da FIFA, o chefe dos burocratas Infantino, faz parte dele desde o início", afirmou hoje o responsável do clube italiano, em declarações a uma rádio italiana.

E acrescentou: "se ele [Gianni Infantino] foi eleito foi porque comprou mais votos que o xeque [Salmn bin Ebrahim al-Khalifa]. Espero que me suspendam por ter dito isto, seria uma honra".

O suíço Gianni Infantino foi eleito sexta-feira presidente da FIFA, organismo que tutela o futebol mundial, ao vencer as eleições à segunda volta, sucedendo ao suíço Joseph Blatter.

O secretário-geral da UEFA recebeu, na segunda volta, 115 votos, ficando à frente do xeque Salman bin Ebrahim al-Khalifa (88) e do príncipe jordano Ali bin al Hussein (quatro), enquanto o francês Jérôme Champagne não recolheu qualquer voto. Antes, já o sul-africano Tokyo Sexwale tinha desistido.

Infantino é o nono presidente da história da FIFA, sucedendo a Blatter, que, após 17 anos no cargo, deixou a liderança na sequência de um escândalo de corrupção, acabando mesmo por ser suspenso por seis anos.

Maurizio Zamparini tem-se notabilizado por declarações polémicas e pelas mudanças inesperadas de treinador (demitiu 29 técnicos desde que se tornou presidente do clube, em julho de 2002).

Lusa

  • Desespero e euforia marcaram o 8.º dia de Mundial
    0:50
  • Comprava uma bola de futebol com 9 mil cristais Swarovski?
    2:51
  • Lisboa vence prémio Capital Europeia Verde de 2020

    País

    A cidade de Lisboa venceu o prémio de Capital Europeia Verde de 2020, anunciou o comissário da União Europeia para o Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas, Karmenu Vella, numa cerimónia que decorreu em Nijmegen, na Holanda.

  • Trump culpa democratas pela separação de pais e filhos
    0:22