sicnot

Perfil

Desporto

Presidente do Palermo diz que Infantino ganhou porque "comprou mais votos"

O presidente do Palermo, Maurizio Zamparini, afirmou hoje que Gianni Infantino ganhou as eleições para a presidência da FIFA porque "comprou mais votos que o xeque" Salmn bin Ebrahim al-Khalifa, derrotado no escrutínio à segunda volta.

GREGORIO BORGIA

"O sistema não muda e o novo presidente da FIFA, o chefe dos burocratas Infantino, faz parte dele desde o início", afirmou hoje o responsável do clube italiano, em declarações a uma rádio italiana.

E acrescentou: "se ele [Gianni Infantino] foi eleito foi porque comprou mais votos que o xeque [Salmn bin Ebrahim al-Khalifa]. Espero que me suspendam por ter dito isto, seria uma honra".

O suíço Gianni Infantino foi eleito sexta-feira presidente da FIFA, organismo que tutela o futebol mundial, ao vencer as eleições à segunda volta, sucedendo ao suíço Joseph Blatter.

O secretário-geral da UEFA recebeu, na segunda volta, 115 votos, ficando à frente do xeque Salman bin Ebrahim al-Khalifa (88) e do príncipe jordano Ali bin al Hussein (quatro), enquanto o francês Jérôme Champagne não recolheu qualquer voto. Antes, já o sul-africano Tokyo Sexwale tinha desistido.

Infantino é o nono presidente da história da FIFA, sucedendo a Blatter, que, após 17 anos no cargo, deixou a liderança na sequência de um escândalo de corrupção, acabando mesmo por ser suspenso por seis anos.

Maurizio Zamparini tem-se notabilizado por declarações polémicas e pelas mudanças inesperadas de treinador (demitiu 29 técnicos desde que se tornou presidente do clube, em julho de 2002).

Lusa

  • Trabalharia horas extra sem ser pago? E feriados?  
    1:25
  • Visita de Estado ao Luxemburgo
    1:34

    País

    O Presidente da República chega esta noite ao Luxemburgo para uma visita de Estado de dois dias. O contacto com a comunidade portuguesa, que é a maior comunidade no país, vai ser um dos pontos fortes da visita.

    Enviados SIC

  • UE dá "luz verde" para início das negociações do Brexit

    Brexit

    Os 27 Estados-membros da União Europeia aprovaram esta segunda-feira a autorização para o início das negociações do Brexit, indicando formalmente o final de junho para início do processo de saída do Reino Unido, que se prolongará por dois anos.