sicnot

Perfil

Desporto

Gianni Infantino reitera apoio ao alargamento do Mundial de futebol

O novo presidente da FIFA, o ítalo-suíço Gianni Infantino, reiterou o apoio a um alargamento do mundial de futebol de 32 para 40 equipas, ideia constante no seu programa e divulgada hoje em vídeo.

Michael Probst

"Não é segredo, acredito num mundial com 40 equipas, com mais oito, mas não assim tantas, visto que 40 representam apenas 19% das 209 federações da FIFA", explicou o antigo secretário-geral da UEFA, eleito presidente da FIFA na sexta-feira.

Gianni Infantino sustentou que isto dá a possibilidade de qualificação a mais oito equipas, é o sonho a muitas mais de se apurarem, o que considera ser o "que importa".

O novo responsável máximo do futebol mundial abordou também a questão do apoio tecnológico aos árbitros e salientou que o mesmo terá que ser analisado, no sentido de não impedir paragens.

"A particularidade do futebol é a sua fluidez, é um desporto sem interrupção e, por isso, temos que ver qual será o impacto de uma ajuda tecnológica à arbitragem nessa fluidez", salientou.

No fim de semana, o International Board, órgão que regulamenta as regras do jogo, reúne-se em Cardiff e poderá tomar decisões no que diz respeito ao 'dossier' quanto ao uso da tecnologia na arbitragem.

Lusa

  • Braga perde com Shakhtar e fica fora dos 16 avos de final da Liga Europa
    3:16
  • Ronaldo não está preocupado com repercussões de eventual fuga fiscal
    1:30

    Football Leaks

    Cristiano Ronaldo diz que quem não deve não teme. O avançado português não se mostra preocupado com as notícias que revelam que o jogador não terá declarado os rendimentos da publicidade ao fisco espanhol. Fontes do Ministério das Finanças do país vizinho confirmaram ao jornal El Mundo que o português está a ser investigado há ano e meio.

  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.