sicnot

Perfil

Desporto

Bruno de Carvalho diz que Benfica não queria que Slimani jogasse o dérbi

O presidente do Sporting disse hoje que o Benfica fez uma "campanha tremenda" para que Slimani não jogasse o dérbi de sábado e salientou que a pacificação no futebol não se faz com "hipocrisia nem com falsas filosofias".

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

"Se tentaram durante meses que o Slimani não jogasse, ao menos que se remetessem ao silêncio porque este tipo de hipocrisia roça ao ridículo. Uma coisa são rivalidades e outra é tocarmos o ridículo. E não vale a pena. O Benfica não queria que o Slimani jogasse", afirmou Bruno de Carvalho.

O presidente do Sporting falava aos jornalistas na cidade da Praia, no quadro de uma visita a Cabo Verde, alguns dias depois de o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, ter pedido que nenhum jogador dos 'leões' fosse castigado em vésperas do dérbi da 25.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, no sábado.

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol tem em mãos um processo disciplinar no qual o avançado argelino é visado por uma alegada agressão ao grego Samaris, do Benfica, num encontro da Taça de Portugal, disputado a 21 de novembro de 2015.

Bruno de Carvalho disse que tudo o que for para pacificar o futebol é "sempre perfeito", mas salientou que a pacificação "não se faz com hipocrisia nem com falsas filosofias", mas sim encarando o futebol como ele é, com rivalidades, emoções e um espetáculo que gera polémicas.

"O Benfica, se o Sporting pudesse jogar só com um jogador, ficava feliz. Felizmente, vamos jogar com os nossos jogadores e vamos ficar à espera, porque continuo a dizer que todo este assunto Slimani e o seu desfecho vão demonstrar se o futebol português está a querer evoluir ou se está a querer regredir porque é uma situação absolutamente ridícula, que já deveria estar resolvida e sem castigo", continuou.

Bruno de Carvalho fez um apelo para que as atenções sejam concentradas no jogo dentro das quatro linhas, mas afirmou que não é politicamente correto nem hipócrita. "E não gosto que os outros sejam", sublinhou.

"Não vale a pena, a partir do momento em que foi feita uma campanha tremenda, a todos os níveis avassaladora para que o Slimani fosse castigado", reforçou Bruno de Carvalho, lembrando que a nível regulamentar isso já não era possível porque mesmo que fosse aplicado um castigo ao Slimani, o Sporting iria meter um recurso que teria efeito suspensivo.

"Não podemos querer ser os arautos do moralismo quando somos os primeiros a utilizar os jogos de bastidores para tudo", concluiu o presidente leonino, esperando, porém, que o jogo de sábado com o Benfica seja "um bom espetáculo e que corra tudo bem".

Lusa

  • "Deixem-se de fitas", pede Bruno de Carvalho
    1:15

    Desporto

    A pouco mais de 60 horas do dérbi de sábado, Bruno de Carvalho faz um apelo para que não haja "fitas" no Sporting-Benfica. Em entrevista à TSF, o presidente do Sporting diz que espera um bom espetáculo e manifesta confiança no árbitro Artur Soares Dias.

  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Milhares de brasileiros protestam na Praia de Copacabana contra Temer
    3:04
  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40
  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.