sicnot

Perfil

Desporto

Callejas assume-se culpado de extorsão e fraude no escândalo de corrupção da FIFA

O antigo presidente das Honduras, Rafael Callejas, assumiu-se hoje como culpado face às acusações de conspiração para prática de extorsão e fraude económica relacionada com o escândalo de corrupção da FIFA.

© Jorge Cabrera / Reuters

O dirigente de 72 anos, que tem estado sob fiança nos Estados Unidos desde que deixou Honduras no final do ano passado para enfrentar a justiça, conhecerá a sentença a 05 de agosto.

As duas acusações correspondem a uma pena máxima de 20 anos de prisão.

"Culpado", disse Callejas em resposta a uma interpelação do juiz Robert Levy, de um tribunal federal norte-americano em Brooklyn, falando pausadamente em inglês fluente, com sotaque norte-americano, vestido com um fato escuro.

Callejas, que serviu como presidente de Honduras entre 1990 e 1994 e foi presidente da federação de futebol do país até agosto de 2015, enfrentava oito acusações norte-americanas de extorsão, fraude e lavagem de dinheiro na sequência das investigações das autoridades norte-americanas.

O ex-presidente hondurenho concordou, no âmbito do apelo feito pelo juiz, em pagar 650 mil dólares (580 mil euros), dos quais 180 mil (160 mil euros) a serem pagos dentro de uma semana e o restante no prazo de doze meses.

Lusa

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.