sicnot

Perfil

Desporto

"Os resultados não estiveram ao nível que exijo e que o clube requer"

O ex-treinador do Valencia Gary Neville admitiu hoje que os resultados alcançados pela equipa da Liga espanhola de futebol sob o seu comando técnico "não estiveram ao nível do que era exigido".

© Heino Kalis / Reuters

"Os resultados não estiveram ao nível que exijo e que o clube requer", escreveuG, em comunicado hoje divulgado.

O Valência anunciou hoje a rescisão do contrato com o treinador inglês que sucedeu no comando técnico da formação da Liga espanhola de futebol ao português Nuno Espírito Santo, em novembro de 2015.

"O Valência rescindiu hoje a sua relação contratual com Gary Neville como treinador da primeira equipa. Depois de analisar calmamente a situação desportiva, o clube decidiu fazer esta mudança em busca do melhor interesse para o Valência, tendo em vista o final da presente temporada", lê-se no comunicado do clube.

O clube, que nomeou Pako Ayestarán como técnico até ao final da época, agradeceu ainda o trabalho de Neville, desejando-lhe a melhor sorte no futuro.

"Gostaria de ter continuado o trabalho que comecei, mas entendo que estamos num negócio que se baseia em resultados", acrescenta o treinador inglês.

O sucessor de Gary Neville, de 53 anos, foi um dos adjuntos que acompanhou Quique Flores no Benfica, 2008/09, tendo assumido as funções de treinador principal em clubes como Estudiantes Tecos (México), Maccabi Telavive (Israel) e Santos Laguna (México). Antes, o ex-preparador físico passou ainda por Tenerife, Liverpool, Real Sociedad e Al Ahli.

Após 30 jornadas, o Valência, que foi quarto classificado em 2014/15, ocupa o 14.º lugar da Liga espanhola, com 34 pontos, mais seis do que o Getafe, 18.º e primeira equipa abaixo dos lugares de despromoção.

Lusa

  • E vão quatro de Ronaldo
    1:58
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Lançamento de balões no São João do Porto em risco

    País

    Lançar balões nas festas do São João do Porto pode não ser possível este ano, tudo irá depender das condições atmosféricas. A Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural admitiu, esta quarta-feira, que está a acompanhar a situação mas que ainda nada está decidido.