sicnot

Perfil

Desporto

Lopetegui diz que não reconhece postura de Pinto da Costa

O espanhol Julen Lopetegui, ex-treinador do FC Porto, admitiu, em declarações ao jornal espanhol AS, que não reconhece a postura de Pinto da Costa, que acredita ser uma estratégia do presidente dos 'dragões'.

© Reuters Staff / Reuters

O técnico garantiu que sempre teve uma boa relação com o presidente do clube e que, inclusive, a despedida foi feita com "lágrimas e abraços sinceros".

"Eu conheci uma pessoa que, neste momento, não reconheço. Pinto da Costa despediu-se de mim entre lágrimas e abraços muito sinceros. Tenho muito carinho pelo clube e pelo presidente, embora não acreditem. Não há nada de mal a dizer acerca dele", disse Lopetegui.

O treinador basco disse que, no entanto, não entende algumas declarações do dirigente nos últimos tempos, negando que tenha sido ele, como admitiu Pinto da Costa, a deixar de atender os telefonemas do presidente portista.

"Eu falava com ele todos os dias e tinha uma relação magnífica. Íamos jantar com as mulheres, constantemente. Sinceramente, creio que obedece a uma estratégia e tem pouco a ver com a realidade. As três últimas chamadas foram minhas, para pedir que me deixasse despedir dos jogadores, e nem sequer me atendeu o telefone. Creio que tinha ganho esse direito", garantiu.

Em relação a essas e outras declarações do dirigente, Lopetegui tem uma teoria, dizendo que foi estratégia.

"A Pinto da Costa apenas tenho a dizer que siga o caminho dele e me deixe fazer o meu, porque eu já vim embora há algum tempo. Não sei muito bem a que se devem todos estes comentários. Estou muito agradecido ao clube, aos seus adeptos e à cidade pela experiência que vivi ali. Fizemos o trabalho da melhor maneira possível. Chegámos com a equipa a 13 pontos do líder, saímos em plena discussão do título e agora estão à distância que havia à nossa chegada. Esses são os factos", disse ainda.

Relativamente a Pinto da Costa se ter mostrado arrependido de lhe ter entregue os comandos da equipa principal, Julen Lopetegui não se mostrou satisfeito.

"Não creio que esteja a ser correto, sinceramente. A atual situação da equipa não tem que ver com a que deixámos, empatados no topo e na luta com o Benfica. Na altura estávamos a disputar quatro competições e agora a equipa está a 12 pontos do primeiro lugar na I Liga", voltou a lembrar.

Julen Lopetegui lembrou ainda a contestação de que foi alvo por parte dos adeptos, numa altura em que ainda estavam na luta por todos os objetivos.

"É verdade que o ambiente era difícil. A contestação de alguns adeptos foi exagerada depois de perdermos o único jogo da temporada. Estivemos dentro do estádio quatro a cinco horas antes de podermos sair", recordou ainda o treinador.

O técnico reforçou finalmente que, em termos desportivos, "foi feito um bom trabalho" e reconheceu que "talvez não tenha sabido ganhar o carinho e o respeito das pessoas".

"Também terei a minha parte de responsabilidade por não ter caído melhor em graça ou por não ter sorrido mais. Mas, mantenho que, desportivamente, fizemos um bom trabalho", concluiu.

Lusa

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Marcelo comenta comparação de Centeno a Ronaldo

    País

    O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, comentou esta quarta-feira a comparação que o ministro das Finanças alemão terá feito entre Mário Centeno e Ronaldo, considerando que "quem quer que disse isso, por uma vez não pensou mal".