sicnot

Perfil

Desporto

FIFA reduz pena de Mayne-Nicholls de sete para três anos de suspensão

A Comissão de Recurso da FIFA reduziu de sete para três anos a suspensão imposta ao chileno Harold Mayne-Nicholls, presidente da comissão que avaliou as candidaturas à organização dos Mundiais de futebol de 2018 e 2022.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O ex-presidente da Federação Chilena de Futebol foi considerado culpado de ter violado várias normas do código de ética da FIFA, mas recorreu da pena imposta em julho de 2015 pelo Comité de Ética do organismo regulador do futebol mundial, alegando falta de proporcionalidade da sanção.

A Comissão de Recurso da FIFA, que rejeitou o recurso do ex-presidente da Federação Nepalesa de Futebol, Ganesh Thapa, condenado a 10 anos de suspensão por atos de corrupção, considerou que a pena aplicada a Mayne-Nicholls "não foi proporcional aos atos cometidos".

Na qualidade de presidente da comissão que avaliou as candidaturas à organização das próximas duas edições do Campeonato do Mundo, o dirigente chileno foi o autor do documento que deu pior nota ao Qatar, país que acabou por ser escolhido para acolher o torneio em 2022.

O Qatar foi escolhido para ser o anfitrião Mundial de 2022, após quatro votações. Depois das sucessivas eliminações da Austrália, Japão e Coreia do Sul, o Qatar venceu, finalmente, a candidatura dos Estados Unidos, por 14 votos contra oito.

Lusa

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),

  • "A maioria das pessoas que criticou André Ventura nunca viveu esses problemas"
    3:43

    Opinião

    A polémica em torno das declarações do candidato do PSD à Câmara de Loures, André Ventura, sobre o modo de vida da etnia cigana no concelho, esteve em análise no Jornal da Noite desta segunda-feira. Miguel Sousa Tavares defende que "os problemas existem mas não podem ser generalizados". O comentador SIC considera, ainda assim, que André Ventura tem razão quando diz que "a maioria das pessoas que o criticou nunca viveu esses problemas".

    Miguel Sousa Tavares