sicnot

Perfil

Desporto

João Sousa pode defrontar Frederico Silva no Estoril Open

João Sousa pode ter um duelo português na sua estreia no Estoril Open em ténis, caso Frederico Silva vença o espanhol Nicolas Almagro no encontro da primeira ronda, ditado hoje pelo sorteio realizado no Clube de Ténis do Estoril.

João Sousa

João Sousa

reuters

"Para mim, foi o que eu estava à espera. Calhou-me um jogador muito complicado. Os jogadores que aqui estão têm um ótimo nível. Sabia que, fosse como fosse o sorteio, teria um jogo complicado na primeira ronda", assumiu Frederico Silva, um dos três tenistas premiados com um convite da organização.

O 253.º jogador mundial considera Nicolas Almagro um jogador diferente do típico espanhol. "Joga muito rápido, enquanto os outros espanhóis jogam mais na consistência. Serve muito bem, tem uma boa esquerda", analisou Kiko.

Em caso de triunfo frente ao 66.º tenista da hierarquia, Silva vai defrontar o número um nacional, isento da primeira eliminatória, na segunda ronda do único torneio ATP disputado em Portugal.

"Eu acho que posso ganhar na primeira ronda e só quero pensar nisso. Se conseguir ganhar, seria a primeira vez que passava uma ronda num torneio ATP, o que seria espetacular para mim", assumiu, confessando que ficou aliviado quando percebeu que não iria defrontar nenhum português.

O sorteio não foi meigo com os outros portugueses que já têm vaga garantida no quadro principal: Gastão Elias vai jogar com Paul-Henri Mathieu e, caso vença, terá pela frente na segunda ronda outro francês, o primeiro cabeça de série Gilles Simon, enquanto Pedro Sousa vai defrontar o argentino Leonardo Mayer, sétimo pré-designado.

Elias, número dois nacional e 117.º do ranking mundial, terá que tentar contrariar o favoritismo do veterano francês, 60.º da hierarquia, para avançar para marcar presença na estreia de Simon no Estoril Open de 2016.

Já Pedro Sousa, que recebeu o último wild-card para o quadro principal de singulares, tem pela frente o difícil argentino, que ocupa a 45.ª posição do ranking.

Com Gilles Simon (18.º ATP), Nick Kyrgios (20.º), Benoit Paire (22.º) e João Sousa (34.º), os quatros primeiros cabeças de série, isentos na primeira ronda, um dos confrontos mais aguardados será aquele que vai opor os espanhóis Fernando Verdasco, antigo top 10 mundial e convidado da organização, e Pablo Carreno-Busta, oitavo cabeça de série e 49.º tenista mundial.

O quadro principal do Estoril Open disputa-se entre segunda-feira e domingo, no Clube de Ténis do Estoril, em Cascais, com a fase de qualificação já a decorrer.

Lusa

  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Óculos inteligentes permitem controlar telemóvel com o nariz
    1:05
  • Defesa de Sócrates diz que junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal
    0:50

    Operação Marquês

    A defesa de José Sócrates diz que a junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal. A aplicação de 900 milhões de euros da PT no BES foi anexada ao processo, por suspeita de luvas pagas por Ricardo Salgado a Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, também arguidos. A defesa do antigo primeiro-ministro já contestou a decisão. Diz que é uma forma de confundir o processo para ocultar, mais uma vez, a falta de provas contra Sócrates.

  • Família Portugal Ramos
    15:01