sicnot

Perfil

Desporto

Problemas físicos condicionaram João Sousa na segunda ronda do Estoril Open

João Sousa, número um nacional, admitiu que problemas físicos não lhe permitiram estar a 100 por cento no encontro da segunda ronda do Estoril Open em ténis, frente ao espanhol Nicolas Almagro.

JOS\303\211 SENA GOUL\303\203O

O quarto cabeça de série, que perdeu com Almagro em três 'sets', reconheceu que a derrota de hoje deixa um sabor amargo.

"Penso que fiz um excelente primeiro 'set'. Consegui jogar a um bom nível. No segundo 'set', ele começou a jogar melhor, serviu muito bem. No último 'set', tive alguns problemas físicos que se calhar me impediram, a nível físico e mental, de acabar bem o encontro", admitiu um abatido João Sousa, que se escusou a responder se os problemas físicos se limitavam ao pé.

O número um nacional e 34.º jogador mundial teve um percalço no início do terceiro parcial, ficando a ideia que teria torcido o pé.

"Ainda tenho de valorar isso. O pé dói. Não sei se foi por causa disso que perdi, mas não consegui estar ao meu melhor", indicou, para de imediato contrapor: "Eu não estou a por desculpas na condição física. Não foi pela condição física que perdi".

Após o susto nos singulares e apesar das dores, Sousa quis jogar pares ao lado de Gastão Elias, com a dupla nacional a ser afastado nos quartos de final.

"O importante era saber se estava apto para jogar os pares. O fisioterapeuta fez uma pequena análise e ele disse que eu ia ter dores, porque tinha sido muito recente. Eu sempre que entro em campo, é para vencer", assegurou.

Para o número um nacional, depois do esforço que os dois melhores jogadores lusos fizeram para jogar o par, depois da sua derrota em singulares, a derrota frente aos polacos Lukasz Kubot e Marcin Matkowski foi injusta.

"Penso que a parte psicológica nos singulares pesou mais, penso que no par estive excelente -- mas têm de perguntar ao meu parceiro", disse, salientando que não podia ter ido desanimado para o encontro de pares, porque o seu parceiro não tinha culpa por ele ter perdido.

"Por isso, dei tudo por tudo. Não fomos tão felizes como desejávamos em alguns momentos", acrescentou.

Questionado sobre se a sua participação no Masters 1000 de Madrid está em risco, o número um português respondeu que dependerá da avaliação ao pé.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.