sicnot

Perfil

Desporto

SC Braga nega ser "visado" na Operação Matrioskas

A Sporting de Braga - Futebol SAD confirmou que a Polícia Judiciária (PJ) esteve hoje nas suas instalações a fim de obter cooperação no âmbito de uma investigação criminal em curso, mas negou ser visada nesta averiguação.

ANT\303\223NIO COTRIM

O curto comunicado colocado no sítio oficial do clube refere que a SAD bracarense prestou "todas as informações solicitadas" e demonstrou "total disponibilidade para cooperar com as entidades competentes", mas frisou que "nem a SAD do Sporting de Braga nem qualquer um dos seus representantes ou colaboradores são visados na investigação referida".

As autoridades constituíram, até ao momento, seis arguidos no decorrer das buscas realizadas à SAD da União de Leiria, Sporting, Benfica e Sporting de Braga, na 'Operação Matrioskas', disse à Agência Lusa fonte da PJ.

O empresário russo Alexander Tolstikov, presidente da SAD da União Desportiva de Leiria, a SAD e o clube são três dos arguidos, além de outras três pessoas, "com relações ao presidente da SAD da União de Leiria e à própria SAD deste clube", que também foram constituídas arguidas, adiantou a fonte da PJ.

A mesma fonte admitiu que possam vir a ser constituídos mais arguidos no decorrer da operação, uma vez que a investigação ainda está em curso.

"A investigação desenvolve-se desde o início de 2015, tendo por objeto a presumível prática de crimes de branqueamento, fraude fiscal, falsificação de documentos e associação criminosa por parte de cidadãos nacionais e estrangeiros, correlacionados com a atividade desportiva", explica a PJ, em comunicado.

Segundo a PGR, as buscas, que envolveram 22 equipas da PJ, abrangeram os estádios de futebol de Braga e Leiria, as SAD do União de Leiria, do Sporting Clube de Portugal e do Sport Lisboa e Benfica, bem como residências particulares, empresas, veículos, escritórios de contabilidade e um escritório de advocacia.

Lusa

  • Tribunal de Contas apresentou reservas em relação ao SIRESP em 2006

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O Tribunal de Contas avisou em 2006 que o Estado poderia sair prejudicado nos moldes em que o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) estava a ser desenhado. De acordo com a edição de hoje do Jornal de Notícias, terão sido a ausência de um concurso público, a falta de tempo para a apresentação de propostas e mexidas no caderno de encargos a motivar as reservas do tribunal.

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Chef russo aconselha bife tártaro aos jogadores portugueses
    1:29
  • Bispo do Mali terá contas na Suíça com 12 M€
    1:49

    Mundo

    Há uma polémica a envolver um novo cardeal da Igreja católica. Um bispo do Mali, escolhido pelo Papa para o colégio cardinalício, está a ser relacionado com contas na Suíça onde estarão depositados milhões de euros. A cerimónia que o fará cardeal está marcada para hoje.

  • Confirmada prisão dos portugueses que gravaram nome no portão de Auschwitz

    Mundo

    Dois adolescentes católicos portugueses foram condenados a um ano de prisão com pena suspensa, por terem gravado os nomes na porta da entrada principal de Auschwitz-Birkenau. O tribunal de primeira instância de Oswiecim já tinha condenado os jovens e o tribunal de Cracóvia confirmou esta quarta-feira a pena aplicada.