sicnot

Perfil

Desporto

Zidane diz que Real Madrid vai acreditar no título até ao fim

O treinador francês Zinedine Zidane considerou hoje que o Real Madrid vai acreditar até ao final na possibilidade de conquistar o título de campeão de futebol, quando visita no sábado o Deportivo Corunha, na última jornada.

© Andrea Comas / Reuters

"Vamos acreditar até ao final, até ao último minuto, último segundo do jogo. Não vou falar da percentagem de possibilidades de ganhar a Liga, o que me preocupa é o jogo que vamos ter", referiu hoje Zidane na conferência de imprensa de antevisão ao jogo.

A uma jornada do final, o Real Madrid está a um ponto do líder FC Barcelona, que também no sábado visita o Granada, com vantagem dos catalães em caso de igualdade pontual, face à diferença de golos marcados nos jogos entre ambos.

O Real Madrid venceu em Camp Nou por 2-1, mas o FC Barcelona goleou no Santiago Bernabéu, por 4-0.

"Só me preocupa o nosso jogo, não podemos controlar os outros. Podemos fazer as coisas bem, ganhar os três pontos e esperar", acrescentou Zidane, que, para a visita à Corunha, chamou todos os jogadores disponíveis, 22, entre os quais Pepe e Cristiano Ronaldo.

Em relação à possibilidade de existirem prémios em jogo, Zidane reiterou que só pensa no seu jogo e que não sabe nada sobre esse assunto.

"Não sei do que se está a falar. Concentro-me apenas no jogo de amanhã, este é a última conferência de um jogo da Liga e estamos apenas focados no nosso futebol e no que podemos fazer", disse.

Zidane, que substituiu o espanhol Rafa Benítez no comando técnico da equipa, mostrou estar satisfeito com o trabalho que tem feito, mesmo com as dúvidas que disse serem normais, mas lembrou que não ganhou nada.

Lusa

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.

  • Trump acusa o procurador-geral dos EUA de ser fraco
    1:46