sicnot

Perfil

Desporto

Secretário de Estado do Desporto espera festejos de campeão da I Liga dignos e pacíficos

O secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, desejou hoje que os festejos de campeão da I Liga de futebol, que será conhecido no domingo, "sejam recordados pela forma digna e pacífica".

Em comunicado, João Paulo Rebelo, que acompanhará "de perto" o desenrolar da 34.ª e última jornada da I Liga, "faz assim votos para que os festejos das conquistas alcançadas sejam recordados pela forma digna e pacífica", lembrando que Portugal é "um país reconhecido pela qualidade do seu futebol e pela civilidade dos seus adeptos".

No domingo, Benfica, que lidera o campeonato, com 85 pontos, e Sporting, a dois pontos dos 'encarnados', definem quem se sagra campeão da época 2015/2016. A partir das 17:00, as 'águias' recebem no estádio da Luz o Nacional, enquanto os 'leões' jogam no recinto do Sporting de Braga.

"No escrupuloso cumprimento das regras do jogo e do fair play desportivo, contamos assistir a momentos inesquecíveis, bem como à festa e à celebração das virtudes do desporto, dentro e fora do campo", frisou o secretário de Estado.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.