sicnot

Perfil

Desporto

Novos testes de doping podem afastar "dezenas de atletas" dos Jogos Olímpicos

O presidente do Comité Olímpico Internacional alerta que "dezenas de atletas" podem ser afastados dos próximos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, por doping, após a realização de novos testes às amostras realizadas nos jogos anteriores.

reuters

Thomas Bach, presidente do Comité Olímpico Internacional, escreveu hoje no jornal francês Le Monde que o organismo decidiu reexaminar as amostras recolhidas nos Jogos Olímpicos de Pequim e de Londres, 2008 e 2012, respetivamente, "usando os métodos científicos mais recentes".

"Esta ação decisiva vai provavelmente afastar dezenas de atletas, por doping, dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016", escreveu Bach, num artigo de opinião publicado no Le Monde.

Na terça-feira, o Comité Olímpico Internacional (COI) anunciou que 31 atletas, de seis modalidades, estão em risco de falhar o Rio2016, no Brasil, depois dos resultados positivos por doping verificados na reanálise de amostras de Pequim2008.

Os 31 casos, de 12 nacionalidades, resultaram da reanálise de 454 amostras dos Jogos Olímpicos de Pequim, efetuadas na sequência da série de escândalos de dopagem que abalaram o desporto internacional.

"[A reanálise] centrou-se em atletas que potencialmente estariam no Rio2016 e foi conduzida com o recurso aos últimos métodos científicos de análise. Como resultado, 31 desportistas, de seis modalidades, podem ser impedidos de competir nos Jogos Olímpicos do Rio. O comité executivo do COI acordou hoje, por unanimidade, desencadear de imediato os processos, com os comités olímpicos nacionais a serem informados nos próximos dias", pode ler-se na nota publicada na tera-feira na página daquela entidade olímpica.

No comunicado, o COI assegura ainda que todos os atletas que comprovadamente infringiram as regras antidoping serão banidos de competir no Rio2016, que vão decorrer entre 05 e 21 de agosto.

"A luta para proteger os desportistas limpos não parará aqui, já que o resultado da reanálise de 250 amostras dos Jogos Olímpicos de Londres2012 será conhecido em breve. O objetivo é impedir qualquer batoteiro de competir nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro", acrescenta o texto.

O COI informou ainda que vai estender o espetro de análise a todos os medalhados de Pequim2008 e Londres2012, assim como a todos os atletas que podem 'herdar' medalhas da desclassificação de infratores.

"Guardamos as amostras durante dez anos, para que os batoteiros saibam que nunca podem descansar", lembrou o presidente da entidade, Thomas Bach.

  • Ministro garante segurança nas escolas com uso de poliuretano
    0:52

    País

    O ministro da Educação garante que as escolas estão em segurança e que não há perigo com um material como o poliuretano. Tiago Brandão Rodrigues respondia, esta quarta-feira, a uma pergunta dos Verdes sobre a substituição de amianto nas escolas.

  • Estoril garante que estrutura da bancada não está em causa
    2:23

    Desporto

    O Laboratório Nacional de Engenharia Civil deverá emitir esta quinta-feira um parecer preliminar sobre a bancada norte do estádio do Estoril-Praia. O clube garante que a estrutura não está em causa e que, tal como a câmara de Cascais, aguarda por conclusões para uma edificação feita no vale da Amoreira.

  • Ronaldo estará mesmo de saída do Real Madrid
    2:01
  • Encontradas 86 pedras preciosas numa casa em Albufeira
    0:48
  • Polícia descobre arte de esconder 750 quilos de droga em ananases
    2:25
  • Moscovo só teve seis minutos de luz solar em dezembro

    Mundo

    Os portugueses estão tão habituados ao sol, que nunca imaginariam passar um mês inteiro sem ele. O fenómeno aconteceu na capital russa. Moscovo bateu o recorde em dezembro, quando passou o mês inteiro sem luz solar direta. As pessoas de Moscovo viram o sol apenas durante seis minutos e a espreitar timidamente por entre as nuvens.

  • A maior lua de Saturno tem nível do mar tal como a Terra

    Mundo

    Titã, a maior lua de Saturno, tem uma altura média da superfície do mar, tal como a Terra, revela um estudo divulgado esta quarta-feira, que se baseia em observações feitas pela sonda norte-americana Cassini, cuja missão terminou em setembro.