sicnot

Perfil

Desporto

Cristiano Ronaldo teve que ser assistido e abandonou treino do Real Madrid

O futebolista português Cristiano Ronaldo foi forçado a abandonar mais cedo o treino de hoje do Real Madrid, depois de sofrer um toque na coxa esquerda, numa sessão de treino aberta.

O internacional luso, três vezes Bola de Ouro, teve que receber assistência fora do relvado, depois de um choque na disputa de bola com Dani Carvajal e o guarda-redes Kiko Casilla, e teve que deixar o treino.

O jogador, que falhou alguns jogos do Real Madrid no final da época, devido a lesão, saiu com uma expressão aborrecida, num treino que decorreu depois de hoje de manhã Zidane ter afirmado que o português estava preparado e apto para a final da Liga dos Campeões, no sábado, com o Atlético de Madrid.

"Não haverá problema. Ele [Cristiano Ronaldo] sentiu algo e não jogou por precaução. Estará preparado para sábado e penso que em boa forma física", disse Zidane antes do treino, no dia aberto à imprensa.

No sábado o Real Madrid defronta em San Siro, Milão, o Atlético Madrid na final da Liga dos Campeões (19:45 de Lisboa), num jogo em que os 'merengues' procuram conquistar o 11.º título europeu da sua história.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.