sicnot

Perfil

Desporto

Sharapova suspensa dois anos por doping

A tenista russa Maria Sharapova foi hoje suspensa por dois anos pela Federação Internacional de Ténis (ITF), na sequência do controlo positivo por meldonium no último Open da Austrália. A antiga nº 1 mundial já anunciou que vai recorrer da decisão.

© Toby Melville / Reuters

Em comunicado, a ITF informou que a antiga número um mundial e vencedora de cinco torneios do Grand Slam está suspensa de toda a atividade até 25 de janeiro de 2018 e que lhe serão retirados os pontos relativos ao último Open da Austrália, assim como todos os prémios monetários conquistados.

Sharapova revelou, a 7 de março, que teve um controlo positivo no Open da Austrália por meldonium, uma substância inserida dentro das "Hormonas e moduladores metabólicos" e que passou a fazer parte da lista de substâncias proibidas desde 01 de janeiro, mas desculpou-se assumindo que não tinha visto a lista atualizada enviada pela Agência Mundial Antidopagem (AMA).

A russa alegou que tomava a substância desde 2006 para combater a predisposição genética para a diabetes, a falta de ferro, a deficiência imunológica e frequências cardíacas irregulares.

Maria Sharapova vai recorrer da decisão

"Com a sua decisão de impor uma suspensão de dois anos, o tribunal da ITF concluiu unanimemente que aquilo que fiz não foi intencional. O tribunal descobriu que não procurei tratamento médico de modo a melhorar o rendimento desportivo. A ITF despendeu imenso tempo e dinheiro a tentar provar que eu violei intencionalmente os regulamentos antidoping e o tribunal concluiu que não. Precisam de saber que a ITF pediu uma suspensão de quatro anos e o tribunal rejeitou", começou por dizer uma das maiores figuras do ténis mundial na sua página do Facebook.

Pelo facto de o tribunal ter concluído que a russa não violou deliberadamente o código antidopagem, Sharapova defende que não pode aceitar a suspensão de dois anos.

"O tribunal, cujos membros foram escolhidos pela ITF, concordou que não fiz nada com má intenção, ainda assim querem impedir-me de jogar ténis durante dois anos. Vou recorrer imediatamente para o Tribunal Arbitral do Desporto", revelou.

Positivo para meldonium

O positivo foi registado num controlo realizado a 26 de janeiro, dia do seu encontro dos quartos de final com a número um mundial, a norte-americana Serena Williams, que a russa perdeu por 6-4 e 6-1.

O meldonium (ou mildronate) é um fármaco, proibido na Europa Ocidental e nos Estados Unidos, recomendado para combater a insuficiência cardiovascular e permite que o coração suporte grandes cargas de trabalho físico ou intelectual.

No entanto, a AMA decidiu proibi-lo este ano, após receber dados alarmantes que confirmavam o seu uso recorrente por parte de desportistas profissionais nos países resultantes do desmembramento da União Soviética.

Com Lusa

  • Federação Internacional de Ténis abre processo disciplinar a Maria Sharapova

    Desporto

    A Federação Internacional de Ténis abriu um processo disciplinar à tenista Maria Sharapova. A atleta russa confessou ter chumbado nos testes antidoping no Open da Australia, que se realizou em janeiro. Está previsto que o veredicto seja conhecido antes de dia 27 de junho, data de início do Torneio de Wimbledon. Até lá, Maria Sharapova, que já foi número um do ténis feminino, está suspensa. Em causa está o consumo de meldonium. A Agência Mundial de Antidopagem proibiu a ingestão deste fármaco logo no início de 2016.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalaram-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.