sicnot

Perfil

Desporto

Golo com o braço de Ruidíaz elimina Brasil da Copa América

Um golo com o braço do suplente Raúl Ruidíaz, aos 75 minutos, afastou domingo o Brasil da Copa América do Centenário em futebol e colocou o Peru, vencedor por 1-0, nos quartos de final.

Charles Krupa

Necessitado apenas de empatar para seguir em frente, o onze de Carlos Dunga, que deixou Jonas no banco, foi derrotado por um golo irregular, uma mão não detetada pelo árbitro uruguaio Andres Cunha e seus assistentes.

Em Foxborough, os jogadores brasileiros protestaram muito, nomeadamente o guarda-redes Alisson, mas, despois de quase quatro minutos de hesitações e trocas de palavras entre árbitro e assistentes, o golo foi mesmo validado.

O Brasil pode queixar-se pela forma como foi eliminado, mas o árbitro também lhe perdoou uma grande penalidade e foram muitos os seus erros próprios, sobretudo o zero na finalização, apesar de várias oportunidades criadas.

"Tivemos oportunidades, mas a bola não quis entrar, é futebol. Não marcámos e pagámos por isso. O golo do Peru? A gente viu que a bola bateu na mão, mas não vale a pena falar disso. Os quatro árbitros falaram entre eles e disseram que nenhum viu mão", lamentou Mirada, o capitão brasileiro.

O Brasil teve, de facto várias ocasiões, nomeadamente na primeira parte, mas o guarda-redes Gallese deteve os remates de Filipe Luis, Gabriel e, pelo meio, Willian atirou por cima, em excelente posição.

Quase em cima do intervalo, aos 44 minutos, o Peru, que pouco fez ofensivamente na primeira metade, deveria ter beneficiado de um penálti, por falta de Renato Augusto sobre Édison Flores. O árbitro mandou jogar.

Para a segunda parte, o Peru, obrigado a vencer, trouxe uma postura mais ofensiva e depois de uma primeira ameaça, num livre de Cueva, chegou ao golo aos 75 minutos. Guerrero combinou na direita com Andy Polo, que centrou para o remate do suplente Raúl Ruidíaz, com o braço direito.

Depois de vários minutos de discussões entre os árbitros, o golo foi validade e, até final, o Brasil pressionou, mas teve apenas uma ocasião, desperdiçada, aos 90+3 minutos, pelo ex-leão Elias, que falhou o remate na cara de Gallese.

O Peru aguentou-se e está nos quartos - nos quais vai defrontar a Colômbia -, juntando-se ao Equador, que, no primeiro jogo do dia, garantira um lugar nos quartos ao golear o Haiti por 4-0.

No MetLife Stadium, em New Jersey, os equatorianos precisavam de vencer por um mínimo de dois tentos de diferença e ganharam por quatro, num embate em que se destacou Enner Valencia, com um golo e duas assistências.

O avançado dos ingleses do West Ham inaugurou o marcador, aos 11 minutos, isolado por Christian Noboa, e, depois, em vez de voltar a marcar, ofereceu golos de baliza aberta a Jaime Ayovi, aos 20, e Jose Antonio Valencia, aos 78.

Aos 57 minutos, Noboa parou no peito um cruzamento da esquerda de Jefferson Montero e marcou de pé direito o terceiro tento do Equador, que tinha empatado os dois primeiros jogos (0-0 com o Brasil e 2-2 com o Peru).

O conjunto equatoriano vai defrontar os anfitriões Estados Unidos nos quartos de final, enquanto o Haiti, que se estreou na Copa América, despede-se com três derrotas em outros tantos jogos, um golo e 12 sofridos.


Lusa

  • Enfermeiros especialistas em saúde materna retomam protesto 

    País

    Os enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia voltam quinta-feira de manhã a interromper as funções especializadas, o que pode afetar blocos de parto e maternidades. Queixam-se de "falta de resposta política adequada" e "ausência de acordos sérios".

  • Cristas vaiada em bairro de Chelas
    1:44

    Autárquicas 2017

    Assunção Cristas promete mudanças na Gebalis, a empresa municipal que gere os bairros sociais em Lisboa. Esta manhã, a candidata do CDS à câmara visitou um bairro de Chelas, onde foi vaiada por alguns populares.

  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • "Em vez de ajudarem, estavam a tirar fotos dela a morrer"
    1:13
  • Criança irrequieta domina noticiário britânico
    1:19