sicnot

Perfil

Desporto

Participação de russos e quenianos no Rio 2016 será analisada individualmente

Os desportistas da Rússia e do Quénia deverão ser avaliados individualmente pelas federações internacionais para poderem ser elegíveis para participarem nos Jogos Olímpicos Rio2016, explicou hoje o presidente do Comité Olímpico Internacional (COI).

© Denis Balibouse / Reuters

Thomas Bach falava no final da Cimeira Olímpica, realizada em Lausana, durante a qual foi analisada a situação dos países cujos autoridades nacionais antidopagem não estão a cumprir as normas da Agência Mundial Antidopagem (AMA).

"De acordo com o relatório da AMA, que contém acusações substanciais à Rússia, a conclusão da cimeira é que a declaração de não cumprimento cria sérias dúvidas sobre a presunção de inocência dos desportistas desses países", afirmou Bach.

Segundo o presidente do COI, "cada atleta desses países terá de ser declarado elegível pelas federações internacionais, após uma avaliação individual, que terá em conta todas as evidências e circunstâncias".

A decisão abre a porta à participação de desportistas russos nas competições olímpicas de atletismo, caso a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), que proibiu os atletas russos de participarem nos Jogos Rio2016, dê a sua autorização.

O presidente da IAAF referiu que a cimeira manifestou por unanimidade "respeito total e apoio à decisão da IAAF" de manter, de uma forma geral, a proibição dos praticantes de atletismo de participarem nos Jogos Olímpicos Rio2016, que decorrem entre 05 e 21 de agosto.

A Rússia, segunda potência mundial do atletismo, atrás dos Estados Unidos, foi suspensa em novembro de 2015 após um 'demolidor' relatório independente da AMA, no qual se denunciava um esquema de doping institucionalizado na Rússia.

Lusa

  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • Depois do Fogo
    23:30
  • "A culpa morre sozinha?"
    0:41

    Opinião

    Luís Marques Mendes não acredita que o Ministério Público não formule uma acusação de homicídio por negligência e que não haja demissões na sequência do incêndio de Pedrógão Grande. O comentador da SIC debateu o tema este domingo no Jornal da Noite da SIC.

    Luís Marques Mendes

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Trump quebra tradição da Casa Branca com 20 anos

    Mundo

    Donald Trump decidiu não fazer um jantar de celebração pelo fim do Ramadão, o mês em que os muçulmanos cumprem jejum entre o nascer e o pôr do sol. O Presidente dos Estados Unidos quebrou a tradição da Casa Branca, pela primeira vez em 20 anos.

  • Novo avião da TAP com pintura retro
    0:36
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia.