sicnot

Perfil

Desporto

Basquetebolista Pau Gasol anuncia presença nos Jogos Olímpicos

O basquetebolista espanhol Pau Gasol anunciou hoje que vai participar nos Jogos Olímpicos Rio 2016, onde espera que "os riscos dos desportistas sejam os mínimos, no que respeita o vírus zika".

© USA Today Sports / Reuters

"O meu compromisso com a seleção é maior do que o medo com o que possa acontecer. Quero ir, quero estar com a equipa, quero cumprir os meus quartos Jogos e quero defender esta seleção uma vez mais", escreveu Gasol, no diário desportivo madrileno Marca, com o qual colabora habitualmente.

Com 35 anos, o poste dos Chicago Bulls, que havia colocado em dúvida a sua participação, poderá até despedir-se na seleção no Rio2016: "Quanto tens uma certa idade, nunca se sabe qual será o último campeonato que vais disputar".

"A minha responsabilidade foi alertar sobre o zika, porque é um tema grande. E a minha responsabilidade também é ir com a seleção a estes Jogos", acrescentou Gasol, falando, porém, de uma sensação "agridoce".

O jogador que alinha na NBA desde 2001/2002 lamenta que as circunstâncias sejam estas, mas tem "esperança que as autoridades sanitárias, locais e internacionais, e os organismos que se encarregam de organizar os Jogos sejam o suficientemente consequentes e responsáveis com todos os que estão dispostos a correr riscos e competir pelo seu país".

Nas duas últimas edições dos Jogos Olímpicos (Pequim2008 e Londres2012), Pau Gasol levou a Espanha à medalha de prata, sendo que, pela sua seleção, já foi campeão mundial (2006) e tricampeão europeu (2009, 2011 e 2015).

Gasol, bicampeão da NBA pelos Los Angeles Lakers, pertence à 'geração de ouro' do basquetebol espanhol, que se sagrou campeã mundial de juniores em 1999, numa competição realizada em Portugal e concluída em Lisboa, onde a Espanha venceu na final os Estados Unidos por 94-87.

Lusa

  • "Estamos a investir na nossa própria desgraça"
    0:37
  • Saída dos EUA do acordo de Paris é "uma vergonha"

    Mundo

    O ex-secretário de Estado norte-americano John Kerry considerou esta terça-feira "uma vergonha" a decisão do Presidente Donald Trump de retirar os Estados Unidos do acordo do clima de Paris, garantindo que o povo não acompanha esse gesto de "autodestruição".

  • "Meninas proibidas de usar saias curtas e roupa transparente" para evitar abusos em Timor
    0:50
  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43