sicnot

Perfil

Desporto

Novak Djokovic eliminado de Wimbledon depois de perder com Sam Querrey

Novak Djokovic, bicampeão em título e dono dos últimos quatro Grand Slam, chocou este sábado o mundo do ténis ao perder na terceira ronda de Wimbledon com o norte-americano Sam Querrey, em quatro sets.

© Stefan Wermuth / Reuters

O número um mundial, que completou o 'Grand Slam' de carreira há menos de um mês ao conquistar Roland Garros, procurava escrever uma nova linha na história do ténis, ao tornar-se no primeiro tenista desde Rod Laver em 1969 a vencer os quatro 'majors' no mesmo ano, mas esbarrou na solidez do 41.º tenista mundial.

"O Sam jogou um grande encontro. O seu jogo foi brutal e eu fui superado", começou por dizer Djokovic, antes de apontar outra justificação para a derrota mais precoce num 'Slam' desde a edição de 2009 de Roland Garros: "Não estou 100 por cento saudável. Mas este não é o momento para falar disso".

O feito de Querrey, que venceu com os parciais de 7-6 (8-6), 6-1, 3-6, 7-6 (7-5), é ainda mais impressionante olhando para os números: o norte-americano interrompeu uma série de 30 vitórias consecutivas do sérvio em torneios do 'Grand Slam' -- não perdia desde a final de Roland Garros em 2015 - e outra de 28 presenças seguidas nos quartos de final de um 'major'.

"Ganhei quatro 'Grand Slam' consecutivos, embora tenha sido em duas épocas diferentes. Quero concentrar-me nisso e não no fracasso", defendeu o número um mundial, que procurava o seu 13.º cetro num 'grande' na relva londrina.

A queda de Djokovic, na terceira ronda, deixa o caminho aberto para Andy Murray no All England Club. O homem da casa continua a desfazer-se sem percalços dos seus adversários, tendo despachado o australiano John Millman, por 6-3, 7-5 e 6-2, no encontro da terceira ronda.

Primeiro britânico a ganhar o 'Slam' londrino em 77 anos, o campeão de 2013 e número dois mundial ainda não perdeu qualquer 'set' no torneio, soma oito vitórias consecutivas em relva - triunfou pela quinta vez em Queen's na semana passada -- e está a apenas uma das 50 em Wimbledon.

"Para conquistar o meu segundo título, primeiro tenho de chegar à final. Tudo depende de mim e ainda há muitos jogadores complicados no quadro", respondeu, quando questionado sobre a eliminação de Djokovic.

Murray foi mesmo o único antigo campeão a escapar a salvo da jornada de sábado, já que a checa Petra Kvitova, campeã em 2011 e 2014, caiu no último encontro da segunda ronda a ficar completo, diante da menos cotada russa Ekaterina Makarova (35.ª).

Depois da derrota por 7-5 e 7-6 (7-5), a número dez mundial 'culpou' as sucessivas interrupções causadas pela chuva pelo desaire.

"É muito estranho, tenho de admitir. Senti-me presa na segunda ronda. Esperava todo o dia para ver se remarcavam o encontro e não tinha a oportunidade de acabá-lo ou pisar o 'court'", lamentou Kvitova, que esteve no 'limbo' durante seis dias, jogando efetivamente apenas duas horas e 46 minutos.

A checa apontou o dedo à organização, dando o exemplo de Venus Williams e Carla Suarez Navarro, que na sexta-feira asseguraram a presença na quarta ronda.

"É inusual veres alguém completar a terceira ronda enquanto ainda estás à espera de acabar a segunda", acrescentou.

Lusa

  • Enfermeiros dizem que suplemento de 150 € não é suficiente para acordo
    0:57

    País

    O Sindicato dos Enfermeiros diz que há um avanço nas negociações com o Governo. Esta terça-feira à tarde, uma delegação do Ministério das Finanças esteve numa reunião que decorreu no Ministério da Saúde. Apesar disso, o presidente do sindicato, José Azevedo, explicou à SIC que a proposta do executivo de pagar mais 150 euros aos enfermeiros especializados não é suficiente para chegarem a acordo.

  • Guterres condena onda de violência em Myanmar
    0:43
  • Escola na Croácia usa imagem de Melania Trump para chamar alunos

    Mundo

    "Imagine até onde pode ir com um pouco de inglês", foi com estas palavras que uma escola de inglês da Croácia decidiu promover as suas aulas, juntando ainda a fotografia de Melania Trump ao placard do anúncio. Agora, a primeira-dama norte-americana ameaça levar o Instituo Americki a tribunal. Entretanto, o placard já foi retirado do local.

    SIC