sicnot

Perfil

Desporto

Putin endurece punições por corrupção no desporto

O Presidente russo, Vladimir Putin, promulgou hoje uma lei que endurece as punições por corrupção no desporto para alterar os resultados das competições, incluindo subornos, depois de vários escândalos de dopagem.

© RIA Novosti / Reuters

Os subornos superiores a um milhão de rublos (cerca de 15.600 dólares) vão ser castigados, a partir de agora, com penas de prisão de oito a 15 anos. O suborno em competições vai ser castigado com penas de prisão até cinco anos.

As autoridades russas abriram um processo criminal por abuso de poder contra funcionários que dirigiram, entre 2009 e 2013, a Federação Russa de Atletismo (FRA), suspendida por escândalos de dopagem pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF).

O Presidente da FRA entre 2009 e 2013 era Valetín Balájnichev - à época tesoureiro da IAAF -- e foi acusado juntamente com outros altos funcionários de aceitar subornos para encobrir o atletismo russo.

A IAAF suspendeu a FRA depois de uma comissão independente da Agência Mundial Antidopagem (AMA) ter recomendado em novembro de 2015 excluir a Federação Russa de todas as competições internacionais, incluindo os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

A primeira entidade a acusar a Rússia de dopagem foi o canal de televisão pública alemão ARD que, num documentário emitido em 2014, expôs um obscuro sistema de dopagem encoberto pelo estado russo.

Uma comissão independente da AMA confirmou que a Rússia não cumpria com os protocolos estabelecidos pelo código mundial de antidopagem e que o governo de Moscovo faz parte de um enredo de corrupção e de encobrimento para que atletas de elite russos utilizem substâncias ilícitas proibidas em competências internacionais.

Lusa

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.