sicnot

Perfil

Desporto

Seis detidos por tráfico de anabolizantes em Espanha após morte de culturista

© Ina Fassbender / Reuters

A polícia espanhola deteve hoje seis pessoas, entre elas o dono de um ginásio em Albacete, suspeitos de tráfico de anabolizantes, após a morte de um culturista e lesões graves em outro, por ingestão dessas substâncias.

Foram detidas seis pessoas em Albacete, Madrid, Múrcia e em Las Palmas, no âmbito da "Operação Músculo", na qual foram apreendidas 90 mil doses de substâncias dopantes, informou hoje a Direção-Geral da Polícia espanhola.

Um dos detidos, o dono do ginásio em Albacete, que, segundo as autoridades, traficava anabolizantes em várias províncias espanholas, foi considerado responsável pela morte de um culturista e pelas lesões graves sofridas por um outro pela ingestão dessas substâncias.

A investigação teve início em novembro de 2015, após a morte de um culturista num ginásio em Albacete e pela suspeita de que a sua morte poderá ter ocorrido após a administração de uma substância anabolizante, pelo dono do estabelecimento.

Os agentes localizaram outra vítima, um homem também dedicado ao culturismo e preparado pela mesma pessoa, o qual sofreu graves lesões como consequência da ingestão deste tipo de medicamentos.

As autoridades localizaram um grupo de pessoas que comercializava, em território espanhol, medicamentos ilegais utilizados para o aumento de massa muscular.

No âmbito da investigação foram ainda apreendidas 1.380 caixas de medicamentos e cerca de 70 mil doses de substâncias dopantes.

A investigação foi realizada pelos agentes da Comissão de Albacete, em conjunto com a Unidade Central de Delitos Especializados e Violentos, da Comissaria-Geral da Polícia Judicial espanhola.


Lusa

  • Younes Abouyaaqoub, o homem mais procurado de Espanha
    1:53
  • Vila de Gavião viu-se cercada pelas chamas
    2:17
  • Telemóveis pessoais foram alternativa ao SIRESP no Sardoal
    1:20

    País

    O presidente da Câmara Municipal do Sardoal disse hoje que a rede SIRESP voltou a falhar durante os últimos cinco dias. Miguel Borges acrescentou que os operacionais no terreno recorreram várias vezes aos seus telemóveis particulares para comunicar.

  • Costa desafia PSD para pacto depois das autárquicas
    1:14