sicnot

Perfil

Desporto

Aboubakar ausente do treino do FC Porto antes do jogo para a Champions

M\303\201RIO CRUZ

Aboubakar foi a única ausência no treino do FC Porto de preparação para a primeira mão do play-off da Liga dos Campeões de futebol, com a Roma, que esta quarta-feira se disputa no Estádio do Dragão.

Recorde-se que o avançado não foi inscrito para esta fase da prova. No entanto, e em virtude da situação do belga Laurent Depoitre, que está impedido de disputar este encontro, uma vez que este ano já jogou pelo Gent na Liga Europa, o FC Porto pode ainda, até à meia-noite, inscrever outro jogador.

Independentemente disso mesmo, Aboubakar não treinou com os restantes companheiros, e, fonte do clube explicou que o jogador foi autorizado a ausentar-se para tratar de assuntos pessoais.

O treinador dos dragões, Nuno Espírito Santo, havia garantido que Aboubakar era um jogador com quem o clube contava, chegando mesmo a afirmar que "não era uma carta fora do baralho.

No entanto, acabou mesmo por ficar de fora no jogo com o Rio Ave, da primeira jornada da I Liga, em Vila do Conde, que os portistas venceram por 3-1, bem como no jogo de apresentação da equipa.

O FC Porto treinou esta terça-feira, ao final do dia, no estádio do Dragão após a conferência de imprensa de Nuno Espírito Santo, onde se contou também com a presença do presidente do clube, Jorge Nuno Pinto da Costa.

Lusa

  • Braga perde com Shakhtar e fica fora dos 16 avos de final da Liga Europa
    3:16
  • Ronaldo não está preocupado com repercussões de eventual fuga fiscal
    1:30

    Football Leaks

    Cristiano Ronaldo diz que quem não deve não teme. O avançado português não se mostra preocupado com as notícias que revelam que o jogador não terá declarado os rendimentos da publicidade ao fisco espanhol. Fontes do Ministério das Finanças do país vizinho confirmaram ao jornal El Mundo que o português está a ser investigado há ano e meio.

  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.